Presidente garante que doença em Cabo Verde está “sob controlo” mas pede “melhorias” no comportamento responsável

O chefe de Estado cabo-verdiano falava aos jornalistas após uma visita no bairro da Achada de Santo António, centro da Praia, aos locais onde decorre a massificação de testes rápidos à circulação do novo coronavírus na comunidade e imunidade à Covid-19.

O Presidente de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca, afirmou hoje que a pandemia da Covid-19 no arquipélago está “sob controlo”, embora admita a necessidade de “melhorias” no combate, desde logo com o comportamento responsável da população.

“Evidentemente que se pode sempre especular se podíamos estar numa situação melhor ou não. Mas é uma situação sob controlo, mas isto não depende apenas do trabalho das autoridades de saúde, da proteção civil, do Governo. Para continuarmos numa situação de controlo da epidemia e para eventualmente baixarmos os níveis de propagação, tem que haver a colaboração, que é fundamental, das pessoas”, afirmou Jorge Carlos Fonseca.

O chefe de Estado cabo-verdiano falava aos jornalistas após uma visita no bairro da Achada de Santo António, centro da Praia, aos locais onde decorre a massificação de testes rápidos à circulação do novo coronavírus na comunidade e imunidade à Covid-19.

Apelou à “responsabilidade individual” dos cabo-verdianos para “proteger o país”, quando se multiplicam críticas generalizadas às multidões que continuam a registar-se na Praia, apesar dos alertas das autoridades.

A acompanhar a visita do Presidente da República esteve o ministro da Saúde, Arlindo do Rosário, que destacou a forte adesão da população, no último mês, à realização destes testes rápidos — que não são de diagnóstico —, levados a cabo pela proteção civil, autoridades de saúde e Cruz Vermelha de Cabo Verde.

“Já realizamos só aqui na cidade da Praia cerca de 16.000 testes, não só nos bairros como nas instituições (…) O objetivo principal é avaliar a circulação do vírus na comunidade”, explicou.

Cabo Verde regista um acumulado de 863 casos de infeção com Covid-19 em três meses (primeiro caso foi diagnosticado em 19 de março), que provocaram oito óbitos, enquanto 377 já foram considerados recuperados.

Um cenário que o chefe de Estado descreveu como “bastante razoável”, mas insistindo na necessidade de a população cumprir com as regras de higiene sanitária e de distanciamento social.

“Basta que 10% [da população] não cumpra as regras para que isso possa ter efeitos tremendos, terríveis”, sublinhou Jorge Carlos Fonseca.

A massificação dos testes rápidos, sobretudo na cidade da Praia, que concentra 622 casos acumulados da doença, é uma opção que o Presidente da República, após visitar os locais de teste, em tendas montadas pela Cruz Vermelha, defendeu como “importante para que Cabo Verde possa conter até onde for possível a progressão da epidemia”.

“Nestas coisas não devemos ser imprudentes quando fizermos as avaliações. Até ao momento, o número de casos positivos que nós temos, o número de pessoas recuperados, o número de óbitos, podemos considerar que a situação está sob controlo”, afirmou ainda Jorge Carlos Fonseca.

Ler mais
Recomendadas

Lucros do BAI Cabo Verde subiram 24% para 1,1 milhões de euros em 2019

Apesar deste resultado, a instituição não vai distribuir dividendos aos acionistas, desde logo cumprindo uma determinação do banco central cabo-verdiano, para constituição de reservas devido à crise economia e financeira provocada pela pandemia.

Cabo Verde com défice orçamental de 0,7% até abril

A proposta de Orçamento Retificativo do país para 2020, que deverá ser submetido a apreciação e votação no parlamento na segunda semana de julho, ascende a 75.084.978.510 escudos (679,1 milhões de euros), entre despesas e receitas.

Cabo Verde já mobilizou cerca de 144 milhões de euros junto da parceiros internacionais

“Embaixadores, representantes das organizações internacionais, Banco Mundial, FMI, União Europeia, Estados bilaterais, todos demonstraram uma grande boa vontade em continuar a apoiar e acompanhar Cabo Verde neste momento”, diz o ministro cabo-verdiano dos Negócios Estrangeiros.
Comentários