Preços da eletricidade continuam a bater recordes. Sabe como reduzir os custos na fatura?

Depois de um máximo registado esta terça-feira, amanhã os preços no Mibel vão continuar a subir fazendo deste o terceiro máximo histórico em três dias seguidos. A empresa Selectra publicou um conjunto de dicas para poupar.

Com a energia elétrica a bater no início desta semana recordes sucessivos de preços no mercado grossista ibérico (Mibel) e a chegar a um valor histórico de 132,47 euros por megawatt hora (MWh) amanhã, depois de esta terça-feira se ter situado nos 130,53 euros e na segunda-feira nos 124,45 euros por MWh a dúvida mantém-se: o que vai acontecer às faturas da luz dos portugueses?

Se antes de se cobrarem estes valores, já eram muitos os portugueses descontentes com as suas faturas de energia, perante este cenário, a preocupação intensifica-se. É um facto que estes máximos históricos se vão refletir nas contas ao final do mês, mas sabia que existem alguns truques que pode meter em prática no seu dia-a-dia e que vão ajudá-lo a atenuar este impacto? Siga estas dicas da Selectra:

  • Aposte em lâmpadas LED e de baixo consumo

Para além de consumirem muita eletricidade, as lâmpadas incandescentes e fluorescentes que ainda temos nas nossas casas libertam muito calor quando utilizadas. Por este motivo, a Selectra recomenda a sua substituição por lâmpadas LED.

  • Controle a temperatura da sua casa

A partir dos 20ºC, cada vez que aumenta a temperatura dos seus aparelhos, encarece a sua fatura de eletricidade em 7% por cada grau adicional. Assim, se conseguir controlar a temperatura de sua casa, consegue poupanças bastante significativas. Para isso, aconselhamos a que utilize um termóstato programável que lhe permite gerir cada divisão de acordo com as horas do dia.

  • Não deixe o telemóvel ou computador a carregar a noite toda

Já todos cometemos esse erro e muitos continuam a fazê-lo, mas sabia que mesmo com a bateria a 100% os aparelhos elétricos continuam a gastar energia? Evite consumos desnecessários e desligue os aparelhos da tomada antes de se ir deitar.

  • Dê preferência ao microondas

Ao utilizar o microondas invés de utilizar o forno, consegue poupar até cerca de 60% de energia, segundo os cálculos da Selectra.

Os eletrodomésticos que geram mais calor são os que tendem a gastar mais eletricidade pelo esforço que exigem, e por isso deve optar pelo uso do microondas sempre que possível e, se precisar de utilizar o forno, aproveite para cozinhar várias refeições de uma vez.

  • Tente abrir e fechar a porta do frigorífico o menos possível

Antes de abrir a porta do frigorífico, pense no que precisa de retirar primeiro. Desta forma evita ficar com a porta aberta durante um grande período de tempo e que o ar fresco vá saindo. No entanto, se precisar de retirar vários alimentos, o melhor é fazê-lo de uma vez e não abrir e fechar a porta várias vezes.

  • Coloque as máquinas de lavar a uma temperatura reduzida

Sabia que ao optar por lavar a roupa a 40ºC invés dos habituais 60ºC, consegue poupar cerca de 25% de energia? Os cálculos da Selectra indicam isso mesmo: ao optar por lavagens a temperaturas mais reduzidas, consegue não só evitar o desgaste das peças como também economizar bastante energia.

Recomendadas

Cinemas estão a três euros até quarta-feira

Esta iniciativa pretende contribuir para a retoma da atividade do sector e promover a sustentabilidade do cinema em Portugal.

Hoje é o Dia Mundial do Turismo. Desenvolvimento sustentável do sector é objetivo em 2021

Para o consumidor a comemoração deste Dia é, também, importante. Todo o cidadão tem direito ao descanso e lazer. Gozar relaxada e seguramente as férias ou o tempo de lazer é o desejo de todos os consumidores que, nesse sentido, devem zelar pelo cumprimento dos seus direitos.

Poupanças dos portugueses continuam longe dos níveis pré-pandemia. Famílias sem filhos são as que mais poupam

Na data em que se comemora o Dia Mundial do Turismo, o estudo da Intrum revela que, para 34% dos portugueses, viajar é uma das principais razões para poupar dinheiro todos os meses. Valor este superior ao período homólogo de 2019 que atingiu os 31%.
Comentários