Preços das casas desceram em mais de 60 municípios portugueses

Freixo de Espada a Cinta lidera as descidas, com um valor por metro quadrado de 134 euros.

Há 63 concelhos em Portugal que não seguem a tendência de aumento do custo da habitação, o que corresponde a cerca de quinto do total. Nestes municípios, as casas vendem-se por um preço médio inferior ao registado há dois anos.

A contagem é feita pelo “Jornal de Notícias” (JN) na edição desta segunda-feira, com base em dados do Instituto Nacional de Estatística (comparação do terceiro trimestre de 2016 com o mesmo período de 2018). De acordo com o matutino, Freixo de Espada a Cinta lidera as descidas, com um valor por metro quadrado (m2) de 134 euros (menos 44,4%).

Concelhos como Vila Velha de Ródão (-42,3), Santa Cruz da Graciosa (-37,9), Tarouca (-36), Campo Maior (-35,6), Calheta (-35,5), Almodôvar (-32), Castanheira de Pera (-30,5), Pampilhosa da Serra (-29,7) e Sabugal (-24,7) estão igualmente no ranking das maiores quedas.

“O preço responde em função da procura, o aumento é uma realidade em Lisboa, no Porto e pouco mais (…). As pessoas têm de se convencer de que não é tudo ouro e petróleo”, disse ao JN Luís Lima, presidente da Associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária.

Relacionadas

Arrendar casa em Lisboa: As zonas mais caras e mais baratas

Se tenciona arranjar casa na capital, saiba quais são as freguesias mais caras e as que ficam mais em conta.

Rendas das casas dispararam mais de 25% em três freguesias de Lisboa

Santo António, Misericórdia e o Parques das Nações são as três freguesias mais caras da capital portuguesa. Já as freguesias mais baratas para arrendar são Santa Clara, Marvila e o Beato.

Desde 2009 que não se vendiam tantas casas em Portugal

O ano de 2018 ficou também marcado por ser o ano em que se venderam mais casas novas desde 2011. Já o número de habitações existentes atingiu o valor mais alto desde 2009.
Recomendadas

Como poupar na utilização do carro

Escolha um modelo adaptado às suas necessidades. Não escolha um carro grande, se não precisa, pois consome até 50% mais combustível do que os modelos mais pequenos.

Já validou as faturas? Prazo termina amanhã

Cada contribuinte pode deduzir até 250 euros das despesas gerais. Para obter o benefício máximo, basta gastar 715 euros, facilmente atingíveis com os encargos da casa e da família. Em conjunto, um casal pode deduzir um máximo de 500 euros no seu IRS.

Segurança na Internet: Mais de metade dos portugueses não se sente devidamente informado

A dinâmica de fazer compras mudou muito nos últimos anos e já não é necessário sair de casa para ver, comparar e comprar produtos. No entanto, muitos consumidores carecem de literacia digital pelo que existem muitas questões quanto às melhores práticas, levando a graves problemas de segurança.
Comentários