Preços das casas subiram mais de 2% no Algarve, Madeira e na zona centro

Valor do metro quadrado é agora de 2.090 euros. No entanto, em Lisboa, os preços da habitação desceram 1,1% registando uma subida de 0,7% na cidade do Porto.

Os preços das casas em Portugal subiram 1% no terceiro trimestre de 2020, quando com o trimestre anterior, segundo revela o índice de preços do portal “idealista” esta quinta-feira, 1 de outubro. A nível anual, face aos primeiros três meses do ano passado, o aumento foi de 5,5%. O valor do metro quadrado é agora de 2.090 euros.

Em termos de regiões, os maiores aumentos foram na zona Centro (4,4%), Região Autónoma da Madeira (2,5%), Algarve (2,1%) e Norte (1,3%). As maiores descidas verificaram-se na Região Autónoma dos Açores (-4,5%), na Área Metropolitana de lisboa (-1,4%) e Alentejo (-0,2%).

De resto, a AML, com 2.954 euros\m2, continua a ser a região mais cara, seguida pelo Algarve (2.343 euros\m2), Norte (1.787 euros\m2) e Região Autónoma da Madeira (1.595 euros\m2). Em sentido inverso, estão a Região Autónoma dos Açores (997 euros\m2), o Alentejo (1.029 euros1m2) e o Centro (1.083 euros\m2).

Olhando aos distritos, os maiores aumentos tiveram lugar em Braga (8,5%), Aveiro (6,1%), Coimbra (4,9%), Viseu (4,7%), Bragança (3,2%) e Ilha da Madeira (2,7%) e Faro (2,1%).

As maiores descidas foram na Ilha de São Miguel (-6,6%), Évora (-5,2%), Ilha da Terceira (-3%), Ilha do Porto Santo (-2,5%), Portalegre (-1,8%), Lisboa (-1,5%) e Castelo Branco (-0,1%).

Lisboa com 3.268 euros\m2 continua a ser o distrito mais caro, seguido por Faro (2.343 euros\m2) e Porto (2.087 euros\m2). Os preços mais baratos encontram-se em Portalegre (634 euros\m2), Guarda (644 euros\m2), Castelo Branco (695 euros\m2) e Bragança (775 euros\m2).

Por outro lado, foi na Ponta Delgada (Açores) onde os preços mais desceram: -4,8%. Seguem-se Évora (-4,4%), Viana do Castelo (-2,5%) e Lisboa, onde a descida foi de 1,1%.

Nas capitais de distrito, Lisboa continua a ser a cidade onde é mais caro comprar casa, (4.614 euros\m2), seguido pelo Porto (2.895 euros\m2) e Faro (1.949 euros\m2). Já as cidades mais com preços mais baratos são a Guarda (690 euros\m2), Portalegre (700 euros\m2), Castelo Branco (750 euros\m2) e Beja (780 euros\m2).

Os preços aumentaram em 15 capitais de distrito, com Vila Real (13,1%) a liderar a lista. Seguem-se Portalegre (8,7%), Guarda (8,3%), Aveiro (6,5%), Bragrança (5,6%), Coimbra e Viseu com uma subida de 5% em ambas as cidades. Já em Faro e no Porto as subidas foram de 2% e 0,7%, respetivamente.

Ler mais
Recomendadas

Preço médio das rendas subiu perto de 2% em setembro

Viana do Castelo, Viseu, Porto e Aveiro foram os distritos que apresentaram a maior variação no preço médio. Em sentido inverso, Bragança registou a maior quebra no preço médio de arrendamento face ao mês de agosto, de acordo com os dados do portal Imovirtual.

Urbiwise lança serviço profissional para o mercado imobiliário

Plataforma de inteligência artificial criou o serviço Urbiwise PRO que vai permitir uma atualização diariamente, para suportar a decisão de agências e agentes imobiliários, investidores, utilities, bancos, seguradoras, entre outros com interesse no setor imobiliário.

“As casas vão aparecer. Não houve fuga dos investidores”, afirma diretor da JLL

Pedro Lancastre assume que o mercado imobiliário tem reagido bem à pandemia do novo coronavírus, com o segmento residencial e logístico a serem aqueles que mais vantagens têm tirado.
Comentários