Preços do gás natural descem 2,2% a partir de hoje no mercado regulado

O mercado regulado conta com 254 mil consumidores. Esta redução implica menos 21 cêntimos por mês para um casal que paga em média 11,95 euros, e 47 cêntimos mensais para um casal com dois filhos com uma fatura média mensal de 22,61 euros.

Os preços do gás natural vão descer 2,2% a partir de hoje no mercado regulado e vão vigorar durante o ano-gás 2020/2021.

O mercado regulado conta com 254 mil consumidores, enquanto o mercado livre tem 1,26 milhões de consumidores, com os preços aqui a serem acordados com o respetivo comercializador.

O impacto na fatura média mensal de um cliente no mercado regulado para o período de 1 de
outubro de 2020 a 30 de setembro de 2021 atinge os 21 cêntimos por mês para um casal que paga em média 11,95 euros, e os 47 cêntimos para um casal com dois filhos com uma fatura média mensal de 22,61 euros.

Já os consumidores no mercado regulado e liberalizado com direito a tarifa social vão beneficiar de um desconto de 31,2%: este desconto implica uma redução do preço em 7,34 euros por mês para um casal, e de 13,93 euros por mês para um casal com dois filhos.

“As tarifas transitórias de venda a clientes finais em baixa pressão com consumo anual inferior ou igual a 10.000 metros cúbicos (m3) , que abrange os consumidores domésticos e serviços ainda fornecidos em mercado regulado terão, a partir de 1 de outubro de 2020, uma redução média de -2,2% face a setembro de 2020”, segundo comunicado da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) divulgado recentemente.

 

Ler mais
Recomendadas

Crédito às empresas recua em outubro

Em setembro, stock de empréstimos às empresas tinha atingido o máximo desde junho de 2018, ao situar-se perto dos 72.149 milhões de euros.

Nearshoring vai crescer acima dos 10% em 2021

A exportação de serviços nos contact centers deverá crescer acima dos 10% em 2021 e por isso bem acima da média nacional, segundo conclui a Associação Portuguesa de Contact Centers (APCC).

DBRS alerta: Impasse político em Portugal cria incerteza no capital do Novo Banco

“Esta notícia foi inesperada e representa desafios para o Novo Banco, pois cria incerteza para o capital do banco e o plano de redução de riscos em andamento, além de aumentar o potencial de litígio”, refere a agência de rating.
Comentários