Preços na produção industrial recuam em abril na zona euro e UE

Os preços na produção industrial recuaram, em abril, na zona euro e na União Europeia (UE) quer face a março quer na comparação com o mês homólogo de 2019, divulga hoje o Eurostat.

Na zona euro, os preços na produção industrial caíram 4,5% face a abril de 2019 e 2,0% na comparação com março, mês em que já tinham diminuído 2,8% e 1,5%, respetivamente.

Na UE, o indicador recuou em abril 4,3% (2,5% em março) na variação homóloga e 1,9% (1,4% em março) face ao mês anterior.

Face a abril de 2019, as maiores quebras dos preços na produção industrial foram registadas na Lituânia (-10,3%), na Grécia (-9,4%) e na Dinamarca (-8,7%), enquanto as subidas mais fortes se observaram em Chipre (3,5%), Malta (1,4%) e Eslováquia (1,2%).

Na variação em cadeia, a Lituânia (-3,6%), Itália (-3,4%) e Espanha (-3,0%) tiveram os maiores recuos e Malta (0,5%), Eslovénia (0,3%) e Luxemburgo (0,1%) as principais subidas.

Em Portugal, o indicador caiu 5,8% na variação homóloga e 2,4% face a março.
Abril foi o segundo mês em que vigoraram as medidas de confinamento devido à pandemia da covid-19.

Recomendadas

António Costa deixa Haia “mais confiante” num acordo no Conselho Europeu

O primeiro-ministro, António Costa, disse hoje deixar Haia “mais confiante” num acordo no Conselho Europeu desta semana sobre o plano de recuperação europeu, por ter sentido também “claramente” no seu homólogo holandês “uma grande vontade” num compromisso.

Merkel manifesta incerteza sobre aprovação do plano de relançamento na cimeira europeia

A chanceler alemã Angela Merkel manifestou hoje incerteza pela possibilidade de um acordo entre os 27 países da União Europeia (UE) sobre um plano de relançamento de 750 mil milhões de euros proposto para enfrentar a pandemia do coronavírus.

Covid-19: Orçamento Suplementar da Madeira com reforço de 287,7 milhões de euros e sem agravamento fiscal

A proposta de Orçamento Suplementar da Madeira adiciona 287,7 milhões de euros ao valor aprovado para 2020, passando de 1.743 milhões de euros para 2.030 milhões, indicou hoje o vice-presidente do Governo Regional, sublinhando que não haverá qualquer agravamento fiscal.
Comentários