Prejuízo da Teixeira Duarte ascende a 19 milhões no primeiro semestre. Mercado português cresce 2,6%

O grupo refere que o volume de negócios na construção no país manteve-se ao nível do verificado nos primeiros seis meses de 2020, atingindo agora os 68.786 milhares de euros.

A Teixeira Duarte piorou os seus prejuízos, de 5,4 milhões de euros para 19,9 milhões de euros, no primeiro semestre de 2021 por causa da pandemia. No entanto, o mercado português esteve em contraciclo, reportando um crescimento de quase 3%.

“Em Portugal, a atividade do grupo cresceu 2,6%, fixando-se em 135.784 milhares de euros, sendo relevante destacar o crescimento de 36,4% no sector imobiliário. Por outro lado, ainda reflexo da situação pandémica, o sector da hotelaria contraiu 29,3% face ao período homólogo”, explica a empresa, no relatório divulgado esta sexta-feira pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

O EBITDA (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) fixou-nos em 25,6 milhões de euros, menos 42% em termos homólogos. Já a dívida financeira líquida do grupo foi de 706 milhões de euros entre os meses de janeiro e junho deste ano.

A construtora registou rendimentos operacionais de 311 milhões de euros, o que corresponde a uma queda de 13,9% em termos homólogos. Por sua vez, o volume de negócios, no qual o mercado externo representa mais de metade (65,4%), atingiu os 259 milhões de euros, menos 18,7%, informou a empresa liderada por Pedro Teixeira Duarte, no mesmo documento.

“O volume de negócios na construção diminuiu 10.324 milhares de euros, o que corresponde a uma redução de 6,3% face ao período homólogo de 2020. Em Portugal este indicador manteve-se ao nível do verificado no mesmo período do ano anterior, atingindo 68.786 milhares de euros nos primeiros seis meses de 2021″, pode ler-se no mesmo documento, publicado pela CMVM após o fecho do mercado.

Mais ressentidos ainda ficaram os negócios no sector imobiliário, que registaram uma diminuição do volume de negócios de 69% relativamente ao mesmo período do ano passado – uma percentagem que a multinacional salvaguarda que não reflete o “bom desempenho deste sector no período” de análise. “A atividade de promoção imobiliária prosseguiu com destaque tanto em Portugal, como no Brasil, mercados onde o lançamento e comercialização de novos empreendimentos tem corrido a bom ritmo”, assegura a Teixeira Duarte.

No fecho da bolsa de Lisboa de hoje, a Teixeira Duarte, cujas ações negoceiam fora do PSI-20, subiu 3,88% para os 10 cêntimos.

Recomendadas

PremiumNovo CEO da Teixeira Duarte tem rentabilidade e dívida como principais desafios

Manuel Maria Teixeira Duarte será hoje eleito como novo presidenteda Teixeira Duarte. Grupo pressionado pelos maus resultados durante a pandemia. “Foco tem de ser a escolha das obras estratégicas” e “redução da dívida”, diz acionista.

Elevo responsabiliza pandemia e Estado de Moçambique por salários em atraso

O grupo português faz referência a “dificuldades” que incluem “alguns salários em atraso e que são explicadas sobretudo pelo impacto da covid-19 e pelo facto de um dos seus principais clientes, o Estado moçambicano, não estar a honrar os seus compromissos financeiros”.

Manuel Teixeira Duarte sobe à presidência da construtora portuguesa

A nomeação de Manuel Teixeira Duarte acontece no momento em que Pedro Teixeira Duarte renuncia ao cargo de presidência da Teixeira Duarte, que teve efeitos produzidos no passado dia 30 de junho de 2021. 
Comentários