Prémio João Vasconcelos abre candidaturas para segunda edição

As inscrições decorrem até ao próximo dia 30 de agosto e o prémio é de 10 mil euros. A distinção está agora a receber candidaturas de empreendedores portugueses e estrangeiros com atividade em Portugal.

A Startup Lisboa abriu candidaturas para a segunda edição do Prémio João Vasconcelos – Empreendedor do Ano e alargou-as a empreendedores portugueses e estrangeiros com um negócio inovador, criado há menos de cinco anos, em Portugal. A atividade que desenvolvem deve incorporar tecnologia e ser escalável.

As inscrições decorrem até ao próximo dia 30 de agosto e o prémio é de 10 mil euros. O montante, que era antes acessível apenas a empreendedores com atividade em Lisboa, passa agora a ter um âmbito nacional.

“Acreditamos que ao abrir esta distinção a empreendedores em todo o país, ganhamos a oportunidade de descentralizar o prémio e ele sai seguramente mais valorizado”, explica Miguel Fontes, diretor executivo da Startup Lisboa, em comunicado divulgado esta quinta-feira.

Visão e estratégia, resiliência, contributo para o ecossistema empreendedor nacional, liderança e gestão de equipa, crescimento e penetração internacional são os critérios de avaliação.

O prémio, que tem também o apoio financeiro do IAPMEI e do Montepio Geral, será entregue a 25 de setembro de 2020, data do “Demo Day” da Startup Lisboa. Na primeira edição, a vendedora foi Daniela Braga, fundadora e CEO da DefinedCrowd, que será agora um dos elementos do júri.

Recomendadas

Já nasceu o “Zomato” para marcar spas, cabeleireiros e PT

Depois de digitalizar a restauração em Portugal, Miguel Alves Ribeiro, diretor da Zomato em Portugal, abriu um novo negócio para colocar todos os espaços de bem-estar online. A partir deste sábado vai poder reservar o barbeiro ou a esteticista através da “Sheer Me”.

‘Proptech’ acalmam receios do imobiliário durante a pandemia

Tecnológicas e startups que trabalham com profissionais do imobiliário garantem que hoje, mais do que nunca, são uma mais-valia. A Casafari optou mesmo por investir numa empresa de software.

Jogo online francês financia-se em 4 milhões e negoceia com mais clubes portugueses

A empresa conta com mais de uma centena de clubes europeus, entre os quais FC Porto, SL Benfica e Sporting CP. Ao Jornal Económico, o CEO da Sorare diz que Portugal é uma ponte para a expansão internacional: “Há uma reserva incrível de talentos e estamos a recrutar muitos criadores de jogadores, economistas de jogos, e desenhadores de jogos”.
Comentários