Prémio REN vai abranger pela primeira vez doutoramentos

A edição de 2018 do prémio está repleta de novidades: uma nova categoria, um novo júri e melhores prémios. As inscrições decorrem até 30 de abril.

A REN – Redes Energéticas Nacionais abriu o período de candidaturas para a edição de 2018 do Prémio REN, criado em 1995: O júri continua a ser presidido pelo professor universitário João Peças Lopes, a quem agora se juntam três novos elementos no painel de 12 júris responsável por avaliar as candidaturas. Maria José Clara, diretora de Relações Institucionais da REN, Zita Almeida do Vale, do Instituto Superior de Engenharia do Porto, e Patrícia Pereira da Silva, da Universidade de Coimbra, juntam-se, assim, a Manuel Costa Matos, da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, Paulo Sena Esteves, do Banco Carregosa, Jorge Vasconcelos, da Newes, Aníbal Santos, da Universidade Católica, Luís Ferreira, do Instituto Superior Técnico, Paulo Ferrão, do Instituto Superior Técnico e da Faculdade de Ciências e Tecnologia, Albertino Meneses, da REN e Miguel Moreira da Silva, da REN.

O valor dos prémios também foi atualizado, sendo que ao vencedor do Prémio de Melhor Tese será atribuído um valor monetário de 25 mil euros, o segundo lugar receberá um prémio no valor de 15 mil euros, e o terceiro lugar 10 mil euros. Serão também conferidas um máximo de três menções honrosas, com um prémio de 2.500 euros.

A partir de 2019, o prémio REN estará também aberto às teses de doutoramento. Este prémio pretende distinguir a melhor tese de doutoramento realizada em universidades portuguesas por recém doutorados em temas do domínio da Energia, nas seguintes áreas científicas: Engenharia, Economia, Física, Química, Sistemas de Informação e Computação. A atribuição deste prémio terá uma frequência bi-anual, podendo concorrer todas as teses de doutoramento referidas anteriormente e que tenham sido defendidas nos dois anos letivos anteriores a cada ano em que se entregará o prémio.

O prémio REN distingue as melhores teses de mestrado no âmbito da energia, realizadas em estabelecimentos de ensino superior portugueses, nos diferentes ramos da Engenharia, mas abrangendo também a Economia, Matemática, Física, Química, Sistemas de Informação e Computação.

Para a atribuição do prémio serão consideradas as teses que incidam sobre temas no âmbito dos sistemas de energia e nas seguintes categorias: Planeamento, Operação e Gestão de Sistemas Elétricos de Energia e Gás; Integração de Fontes de Energia Renovável; Desenvolvimento de Redes Inteligentes de Eletricidade e Gás; Regulação e Mercados de Eletricidade e Gás e Novas Tecnologias dos Sistemas Elétricos e Gás.

 

Ler mais
Recomendadas

“Graças à inovação na agricultura, Portugal reduziu em 400 milhões o seu défice alimentar”, diz António Costa

O primeiro-ministro esteve presente por videoconferência na apresentação do ‘Ambição Agro 2020-30’, e fez questão de frisar que a agricultura é uma atividade virada para o futuro e não do passado.

SIC já entregou processo contra Cristina Ferreira em que reclama indemnização de 20 milhões

A SIC já deu entrada com um processo contra a apresentadora e diretora de ficção e entretenimento da TVI, Cristina Ferreira, no Tribunal Judicial da Comarca de Lisboa, para o pagamento de uma indemnização de 20 milhões de euros.

AEP defende corte de dois pontos no IVA para OE2021

De acordo com o presidente da AEP, Luís Miguel Ribeiro, as propostas agora apresentadas “apontam medidas concretas e são fruto de análise com base no ‘feedback’ que recebemos dos nossos associados”.
Comentários