Preparando o Reino Unido para o futuro

Vamos concentrar os nossos esforços nas áreas onde o Reino Unido pode tirar maior partido daquilo em que se diferencia e aproveitar ao máximo o nosso potencial inexplorado.

O governo britânico publicou recentemente uma Estratégia Industrial que estabelece um plano de longo prazo para aumentar a produtividade, centrado em cinco alicerces fundamentais: Ideias, Pessoas, Infra-estruturas, Ambiente de Negócios e Localidades.

Ideias: a estratégia aponta para um investimento em investigação e desenvolvimento (I&D) de 2,4% do PIB até 2027 e de 3% a longo prazo. Estamos a criar incentivos financeiros e fiscais para desenvolver novas tecnologias e introduzir novas ideias no mercado, e para promover novas parceiras científicas internacionais.

Pessoas: a ambição é gerar bons empregos e maior poder de compra para todos, assegurando o acesso a uma base de talento e competências de grande qualidade. Vamos promover mais ensino vocacional e novas qualificações técnicas, e focarmo-nos na formação ao longo da vida.

Infra-estruturas: vamos transformar a geografia económica do país reforçando os investimentos em infra-estruturas digitais, nomeadamente a banda larga super rápida, nova rede de 5G e tecnologias inteligentes, nova rede ferroviária de alta velocidade, aeroportos e estradas.

Ambiente de Negócios: queremos consolidar o Reino Unido como um local de excelência para criar e desenvolver uma empresa, promovendo a colaboração, melhorando competências e assegurando que todos têm as oportunidades adequadas. Queremos um sector financeiro com melhores ligações ao resto da economia.

Localidades: a ambição é fomentar o aumento da produtividade em todo o país, trabalhando em parceria com cidades, vilas e zonas rurais, com vista a amplificar os seus pontos fortes e a ultrapassar eventuais entraves.

Vamos concentrar os nossos esforços nas áreas em que o Reino Unido pode tirar maior partido daquilo em que se diferencia, focando-nos nas tendências que irão moldar o nosso futuro. Estabelecemos quatro grandes desafios iniciais:  a) a Inteligência Artificial;  b) o Crescimento Limpo; c) o Futuro da Mobilidade; e d) o Envelhecimento da nossa sociedade. Para cada um destes desafios, estabeleceremos uma parceria entre governo, empresas, universidades e sociedade civil para, trabalhando em conjunto, inovar e desenvolver novas tecnologias e indústrias.

O Reino Unido apresenta vantagens económicas significativas, mas precisamos de fazer mais para aumentar a nossa produtividade e aproveitar ao máximo o nosso potencial inexplorado. Esta foi uma semana  emocionante, em que conseguimos chegar a um acordo que permite iniciar as negociações com a UE sobre a nossa relação futura. Queremos que esse futuro inclua um ambicioso Acordo de Comércio Livre com a UE. Esta Estratégia Industrial é também uma forma de nos prepararmos internamente para que essa relação futura reforce os nossos laços comerciais em diversos sectores, desde o turismo aos transportes, às telecomunicações, tecnologias de informação, serviços financeiros e ciências da vida.

A autora escreve de acordo com a antiga ortografia.

Recomendadas

Nova relação empresas-academia

Mais que assinar protocolos de colaboração abstratos, empresas e instituições académicas e científicas devem trabalhar juntas de forma pragmática e informal.

Qual o futuro das libras?

De um lado a esterlina, historicamente desvalorizada. Do outro, a moeda do Facebook que se diz, entre dúvidas e críticas, poder ajudar na inclusão financeira a nível global.

Investidores portugueses ainda são muito conservadores

Metade dos investidores portugueses, 51%, sente que não alcançou os objetivos de investimento nos últimos cinco anos. E este ano é provável que mais portugueses fiquem desapontados.
Comentários