Presidenciais: Direção do Livre recomenda apoio do partido a Ana Gomes

A direção do Livre recomendou hoje aos seus membros e apoiantes que escolham a ex-eurodeputada Ana Gomes como candidata a apoiar pelo partido nas eleições presidenciais, decisão que apenas será oficializada após consulta interna.

Partido Livre

Num e-mail enviado a membros e apoiantes, ao qual a Lusa teve acesso, o Grupo de Contacto (direção) do Livre entende que Ana Gomes deve ter o apoio oficial do partido por considerar que a “área política de esquerda deve ser reforçada nestas eleições”.

“O Grupo de Contacto considera que a área política da esquerda deve ser reforçada nestas eleições presidenciais, e que, dado o impacto das candidaturas da extrema-direita e centro-direita, é urgente apoiar uma candidatura que viabilize um debate à esquerda”, pode ler-se no e-mail.

A direção do partido considera ainda importante que o Livre tenha uma participação e posicionamento ativos na corrida a Belém, “tanto pela missão de dar uma Presidência progressista e humanista a Portugal, bem como pela necessidade de mobilizar o partido numa campanha importante para o futuro do país”.

Na mensagem, o Grupo de Contacto sustenta ainda que a Moção Estratégica deste órgão, apresentada e aprovada no IX Congresso do partido, defende que o Livre dará prioridade a uma candidatura que defenda a “igualdade e justiça social”, o “aprofundamento da democracia”, a “construção de uma democracia europeia” e valores como os da ecologia, sustentabilidade e defesa dos Direitos Humanos.

“Dos perfis já apresentados, e tendo por base as considerações acima identificadas, o Grupo de Contacto entende que Ana Gomes deve ser a candidata apoiada pelo Livre, considerando que dará voz aos ideais, e visão de futuro para o país, do partido”, argumenta a direção do partido da papoila.

À semelhança de 2015, nos próximos dias 18 e 19 de setembro, o Livre vai escolher qual o candidato a apoiar para as presidenciais através de uma consulta interna, na qual participam membros e apoiantes.

Nas últimas eleições presidenciais, António Sampaio da Nóvoa recolheu 87,1% dos votos da consulta interna, na qual também participaram os subscritores do movimento “Tempo de Avançar”.

Já a 23 de maio, em declarações à Lusa, Pedro Mendonça, da direção do Livre, reconheceu que existem pontos ideológicos “em comum” entre o partido e a ex-eurodeputada – como o europeísmo e a defesa dos direitos humanos – e que o partido estava a assistir “com interesse” a uma possível candidatura de Ana Gomes.

A seis meses do fim do mandato do atual Presidente da República, são já oito os pré-candidatos ao lugar de Marcelo Rebelo de Sousa.

São eles o deputado André Ventura (Chega), o advogado e fundador da Iniciativa Liberal Tiago Mayan Gonçalves, o líder do Partido Democrático Republicano (PDR), Bruno Fialho, a eurodeputada e dirigente do BE Marisa Matias, a ex-deputada ao Parlamento Europeu e dirigente do PS Ana Gomes, Vitorino Silva (mais conhecido por Tino de Rans), o ex-militante do CDS Orlando Cruz e a partir de hoje João Ferreira, do PCP.

Ler mais
Recomendadas
Albino Almeida

Assembleias municipais reúnem em congresso com o foco na criação de comissões permanentes

Presidente da assembleia municipal de Vila Nova de Gaia e da Associação Nacional de Assembleias Municipais, Albino Almeida destaca que o segundo congresso da entidade, que decorre no sábado em Braga, irá debater “Os Novos Desafios do Poder Local”. Com a Covid-19 e as autárquicas de 2021 em pano de fundo, o dirigente realça a necessidade de preparar melhor os eleitos para os “parlamentos das autarquias”.

“Sabemos que as mudanças acontecem”. Marta Temido desvaloriza polémica com Jamila Madeira

“As remodelações fazem parte das dinâmicas dos Governos, quando se faz uma alteração procura-se afinal melhorar métodos de trabalho. Quando vim para esta pasta percebi o enorme respeito quem tem de se ter por quem ocupa estes cargos”, esclareceu a governante em conferência de imprensa.

EUA: Juiz federal bloqueia decisão de Trump contra correios

Depois do processo movido por 14 estados, um juiz federal de Washington decretou que as alterações à política dos correios norte-americanos colocam em risco o funcionamento adequado da instituição.
Comentários