Presidente chinês vai participar em cimeira virtual sobre clima organizada por Biden

China e Estados Unidos são os dois maiores emissores de gases de efeito estufa, a fonte do aquecimento global. O acordo entre os dois países é, portanto, considerado crucial para o sucesso dos esforços internacionais na redução das emissões.

O Presidente chinês, Xi Jinping, vai participar da cimeira virtual do clima organizada pelo homólogo norte-americano, Joe Biden, apesar do declínio nas relações entre Pequim e Washington, informou hoje o ministério dos Negócios Estrangeiros da China.

O chefe de Estado chinês vai fazer um “discurso importante” via videoconferência, a partir de Pequim, revelou o ministério, poucos dias depois de os dois países se comprometerem a “cooperar” na questão das alterações climáticas.

Joe Biden convidou cerca de 40 líderes mundiais para uma cimeira internacional sobre o clima, que se vai realizar por videoconferência, entre quinta e sexta-feira.

China e Estados Unidos são os dois maiores emissores de gases de efeito estufa, a fonte do aquecimento global. O acordo entre os dois países é, portanto, considerado crucial para o sucesso dos esforços internacionais na redução das emissões.

No entanto, a relação entre as duas potências deteriorou-se nos últimos anos, marcada por uma prolongada guerra comercial e diferendos sobre questões como Hong Kong, Taiwan, abusos dos Direitos Humanos ou a soberania do mar do Sul da China.

Os dois países comprometeram-se no sábado a “cooperar” na questão do clima, após uma visita a Xangai do enviado dos EUA para o clima, John Kerry, que se encontrou com o seu homólogo chinês, Xie Zhenhua.

O ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump retirou o seu país do acordo de Paris para o clima. Após assumir o poder, em janeiro, Joe Biden retrocedeu nessa decisão.

Grande consumidor de carvão, a China é, em termos absolutos, o maior emissor mundial de gases de efeito estufa, mas também o país que mais investe em energias renováveis.

“Não podemos resolver esta crise climática sem a China na mesa de negociações”, disse Kerry, na semana passada, durante a sua viagem a Xangai.

Pequim prometeu começar a reduzir as suas emissões de CO2 “antes de 2030” e alcançar a “neutralidade nas emissões de carbono” até 2060, ou seja, absorver tanto quanto emite.

Ler mais
Recomendadas

Ministra da Saúde diz que abril foi “um dos meses mais produtivos” na retoma do SNS

A ministra avançou que “o mês de abril terá sido um dos meses mais produtivos do SNS, tendo conseguido ultrapassar mais de dois milhões e meio de consultas a mais nos cuidados de saúde primários, mais de 400 mil consultas a mais na área hospitalar e mais de 32 mil cirurgias a mais na atividade hospitalar”.

Governo dá mais 11 milhões ao Garantir Cultura para projetos não empresariais

O anúncio dos serviços do Ministério da Cultura dá igualmente conta de que o programa Garantir Cultura, destinado ao tecido empresarial, com uma dotação orçamental de 30 milhões de euros, provenientes de fundos comunitários, recebeu 718 candidaturas.

Líder comunista duvida que “bazuca dos milhões” dê resposta aos problemas do país

Num comício na Praça 08 de maio, no coração da cidade de Coimbra, na apresentação dos candidatos do partido à Câmara e Assembleia Municipal, o dirigente comunista falou de um país que “andou para trás”, num período de pandemia em que “se avolumam problemas de dimensão económica e social”.
Comentários