Primeiro-ministro da Ucrânia pede a demissão

A decisão está relacionada com a divulgação de um áudio no início da semana no qual Oleksiy Honcharuk parece fazer comentários depreciativos sobre os conhecimentos de economia do presidente.

DR

O primeiro-ministro da Ucrânia, Oleksiy Honcharuk, apresentou a sua demissão ao presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskyi. A decisão está relacionada com a divulgação de um áudio no início da semana no qual o primeiro-ministro parece fazer comentários depreciativos sobre os conhecimentos de economia do presidente.

Numa publicação na sua conta no Facebook, Honcharuk explica o que o motivou a apresentar a demissão a Zelenskyi.

Дорогі українці!Останні 4 місяці команда Президента багато працювала над тим, щоб країна змінилась. Вже за цей…

Posted by Олексій Гончарук – Прем'єр-міністр України on Thursday, 16 January 2020

“Estou na posição de cumprir o programa do presidente. Para mim ele é um modelo de abertura e de decência. No entanto, para não subsistam quaisquer dúvidas sobre o nossos respeito e confiança no presidente, escrevi uma carta de demissão e entreguei-a ao presidente para que possa submetê-la ao parlamento”, frisou o primeiro-ministro ucraniano.

De acordo com a agência noticiosa AFP, o gabinete de Zelenskyi confirmou que Honcharuk entregou a carta de demissão. O presidente da Ucrânia vai agora considerar este pedido.

Este pedido de demissão surge numa altura em que a Ucrânia está envolvida no processo de impeachment de Donald Trump nos Estados Unidos, uma vez que o presidente norte-americano pressionou Zelenskyi a investigar Hunter e Joe Biden, candidato democrata às eleições presidenciais deste ano.

Até esta quinta-feira, a Ucrânia tinha optado por manter-se à margem deste processo. Algo que mudou, quando ontem o Ministério do Interior do país anunciou que a polícia ucraniana estava a investigar a possibilidade de Marie Yovanovitch, antiga embaixadora dos Estados Unidos na Ucrânia, ter sido vigiada ilegalmente antes de ter sido afastada do cargo.

Ler mais
Recomendadas

Covid-19: FMI admite que crescimento mundial desça para 3,1% este ano

A diretora-geral do FMI admitiu que a previsão de 3,3% para o crescimento da economia mundial possa descer 0,1 ou 0,2 pontos percentuais devido à propagação do coronavírus.

Governo dos EUA exige libertação de tio de Juan Guaidó

Washington acusa Caracas de “inventar provas”, e que vai responsabilizar diretamente Nicolás Maduro pelo que acontecer a Juan Guaidó e à sua família.

Irão quer levar caso do assassínio de general iraniano às instâncias internacionais

O responsável pelo poder judiciário no Irão, Ebrahim Raisi, disse hoje que está a trabalhar com o Iraque para levar às instâncias internacionais o caso do assassínio de Qassem Soleimani.
Comentários