PremiumPrincipal desafio para desenvolver agroindústria é o conhecimento

Promotores de conferência para uma visão estratégica defendem que o conhecimento é a chave para desafios da sustentabilidade e produtividade.

O maior desafio que se coloca à agricultura portuguesa é o de garantir sustentabilidade ambiental e social, mas sem pôr em causa a sua produtividade. Estes são os temas que atravessaram, de forma transversal, as conferências que integraram o ciclo “Conhecer para Decidir, Planear para Agir”, promovido pela Lusomorango, a maior organização de produtores portuguesa do sector das frutas e legumes, e a Universidade Católica Portuguesa. Os promotores desta iniciativa defendem que o caminho passa pelo conhecimento, que é, no final, o grande desafio para o sector agroindustrial.

“O desafio maior da agricultura é fazer parte do ecossistema, preservar a biodiversidade e viver com a biodiversidade. Isto consegue-se através do conhecimento”, explica Luís Pinheiro, presidente do conselho de administração da Lusomorango. “Temos de saber como é que, com tecnologia, com desenvolvimento do conhecimento, temos produtividade agrícola, não desconectada do ecossistema, mas fazendo parte dele”, acrescenta.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Vinhos do Tejo aumentam certificação em 11% no primeiro quadrimestre de 2021

O passado mês de abril foi o melhor mês de sempre para a região vitivinícola do Tejo, com 3,6 milhões de litros de vinho certificado.

CAP solicita ao Governo a apresentação dos resultados das inspeções realizadas em Odemira

A exigência é direcionada à ministra do Trabalho e da Segurança Social, Ana Mendes Godinho, que vai presidir amanhã, dia 12 de maio, à reunião do Conselho Permanente de Concertação Social.

CAP quer trabalhadores testados e autorizados a regressar às explorações em Odemira

“É imprescindível que seja instituído um mecanismo fiável de testagens que permita a circulação de proprietários e de trabalhadores para efeito de acesso às produções agrícolas, mediante apresentação de comprovativo de teste negativo para a covid-19”, afirmou o presidente da Confederação dos Agricultores de Portugal, Eduardo Oliveira.
Comentários