Procura de engenheiros em alta na região do Porto

Indústria, construção e energia são os setores que registam maior procura de perfis técnicos, nomeadamente engenheiros, conclui um estudo da Michael Page.

Na região do Porto, há um denominador que é comum às áreas da indústria, da construção e da energia: a procura de perfis técnicos. Sobretudo de engenheiros de vários ramos. A conclusão é de um estudo do mercado de trabalho realizado pela empresa de recrutamento especializado Michael Page a que O Jornal Económico teve acesso.

Na indústria, por exemplo, são procurados engenheiros, industriais ou técnicos, com experiência prévia em gestão de produção, com conhecimento de inglês e habituados a trabalhar com base em ‘KPIs’ (Key Performance Indicator, indicador de desempenho). Muitos deles são chamados a desempenhar responsabilidades de diretor de produção, uma função em alta que acompanha a melhoria da situação económica, bem como o crescimento do consumo interno e das exportações.

“Trata-se de uma figura fundamental em qualquer contexto profissional, o qual, além do controlo da produção, pode assumir outras funções muito diversificadas, tais como manutenção, melhoria, logística, entre outras”, refere o estudo. Especificamente, estes profissionais devem garantir a produção, assim como a organização de recursos e gestão de processos, recursos e pessoal, para que tudo funcione correctamente.

Na construção, outro dos setores analisados pela Michael Page na região do Porto, a procura de perfis técnicos também está em alta, muito à conta das oportunidades criadas pelo investimento estrangeiro. Chefe de obra, por exemplo, é uma função muito procurada. “Estes profissionais são responsáveis ​​pelo planeamento, pela execução e pela gestão do projeto, além de garantirem que os prazos e os custos são respeitados”. As suas funções vão desde “a conceção do projeto até à sua conclusão, e devem planear, controlar e avaliar o processo em todas as suas fases, entre muitas outras responsabilidades.

Engenheiro, de preferência de construção ou estradas, ou arquiteto técnico com experiência em gestão de estaleiro ou de obras em geral são os perfis mais procurados. Como qualidades pessoais, diz a Michael Page “devem ser pessoas com alta tolerância à frustração e uma grande capacidade de gestão”.

No campo da energia, o “grande progresso e o desenvolvimento que o mercado de energia renovável está a atravessar”, assim como novos projetos em curso, “levaram a uma expansão nacional e internacional”, o que justifica um aumento da procura por perfis como o diretor de projetos internacionais.

O profissional indicado para esta posição deve ter formação em Engenharia, além de especialização em finanças, negociação, planeamento e gestão de projetos, entre outros. Ser fluente em inglês também ajuda.

O domínio desta língua como requisito preferencial é também um denominador comum aos três setores de atividade.

 

Ler mais
Recomendadas

Euroxent indica que aumento de capital da Vista Alegre atraiu sobretudo investidores internacionais

O aumento de capital da Vista Alegre Atlantis (VAA) atraiu, maioritariamente investidores internacionais, numa operação “muito bem sucedida”, conforme defendeu esta sexta-feira a presidente executiva da Euronext Lisbon.

Seguradora Fidelidade entra no mercado chileno

Com esta entrada no Chilea Fidelidade vai também apostar em alianças com parceiros estratégicos locais, alavancadas numa rede ampla de corretores e grandes retalhistas e de bancassurance, apostando numa qualidade de serviço superior com o objetivo de proporcionar o melhor serviço aos clientes.

PAN pede campanha informativa sobre 5G em Matosinhos

Matosinhos tem uma Zonal Livre Tecnológica, promovida pelo CEiiA – Centro de Engenharia e Desenvolvimento, da qual faz parte a NOS. A operadora usa a zona para testar 5G e em outubro anunciou ter coberto “integralmente” com a nova tecnologia móvel. Agora o PAN pede palestras, conferências e debates por toda a cidade para explicar o que é o 5G.
Comentários