Procurador especial Robert Mueller diz que os russos propuseram à campanha de Trump uma “sinergia política”

Um dirigente russo propôs em novembro de 2015 à campanha eleitoral de Donald Trump uma “sinergia política”, indica um documento apresentado em tribunal pelo procurador especial Robert Mueller, na sexta-feira. Robert Mueller está a investigar um eventual conluio entre Moscovo e a campanha eleitoral do então candidato presidencial republicano, Donald Trump.

Em sete páginas, o procurador especial e ex-diretor da polícia federal (FBI, na sigla em inglês), sublinhou que o ex-advogado pessoal de Trump, Michael Cohen, indicou que esteve em contacto com um russo, em novembro de 2015, afirmando ser “uma pessoa de confiança” do Governo de Moscovo, oferecendo à campanha de Trump “uma sinergia política” e “uma sinergia a um nível governamental”.

Estas novas revelações ocorrem quando Trump não para de querer desacreditar o inquérito liderado por Mueller, considerando que a investigação já durou muito tempo e que não vai revelar “qualquer conluio” entre a sua campanha e os russos.

Recomendadas

Venezuela: Washington pede à UE para reconhecer Juan Guaidó como “único presidente legítimo”

Vice-presidente norte-americano recordou a conferência que se realizou esta semana em Washington na qual 30 países reafirmaram o compromisso de ajudar a Venezuela e enviar ajuda humanitária.

Eleições europeias: campo de batalha para todas as ‘fake news’

O movimento de Emmanuel Macron, como tantos outros, está convencido que Steve Bannon e Vladimir Putin estarão ativamente concentrados contra o aprofundamento da União Europeia.

Amazon desistiu de se mudar para Nova Iorque

A companhia tem sede mas Seattle mas a expansão de um segundo escritório principal em Nova Iorque foi comprometida por políticos que se opuseram devido aos benefícios fiscais que a empresa iria receber do Estado.
Comentários