Produção industrial alemã cai para mínimos de uma década

Produção nas fábricas da Alemanha recuou para 5,7% em outubro. Economia da Alemanha volta a dar sinais de fraqueza, depois de ter escapado a uma recessão técnica no terceiro trimestre.

A economia alemã volta a dar sinais de fraqueza, com a produção industrial a cair para 5,3% em outubro, em comparação com o ano anterior, naquela que foi a maior queda desde 2009. Segundo dados do Destatis, divulgados esta sexta-feira, também em cadeia recuou 1,7%.

A produção industrial é considerado um dos mais importantes barómetros sobre a saúde da economia da Alemanha e com impacto para a economia portuguesa e os analistas aguardam agora mais dados sobre o consumo.

“Em outubro de 2019, a produção industrial excluindo a energia e a construção caiu 1,7%”, explica o organismo de estatística alemão, revelando que a produção de bens intermediários aumentou para 1% e a produção de bens de consumo 3%.

A economia alemã evitou uma recessão técnica no terceiro trimestre, ao crescer 0,1% depois de ter recuado 0,2% no trimestre anterior. A desaceleração do crescimento da maior economia europeia tem sido atribuído às tensões comerciais e à incerteza em torno do Brexit.

Recomendadas

Fórmula 1 volta às pistas para salvar modelo de negócio. Portugal à espera de decisões

Empresa detentora da prova-rainha do automobilismo procura salvar receitas numa temporada que seria chave na estratégia de médio-prazo de crescimento da competição. Depois de refinanciamento de 3,1 mil milhões de euros, objetivo passa por realizar entre 15 a 18 corridas. Portugal mantém-se fora do Grande Circo.

Abuso de confiança fiscal corresponde a 78% dos crimes registados pela AT em 2019

No ano passado, dos crimes registados pela AT o abuso de confiança fiscal (78%) é o mais expressivo, sobretudo devido ao sistema de controlo existente que deteta de forma automática indícios da referida prática criminal, indica o Relatório de Atividades Desenvolvidas de “Combate à Fraude e Evasão Fiscais e Aduaneiras” de 2019.

Orçamento Suplementar aprovado com a abstenção do PSD, do Bloco e do PAN

A versão final do Orçamento Suplementar foi viabilizada, depois de terem sido colocadas mais de 30 propostas de alteração e inúmeras correções pontuais ao documento durante a fase de especialidade. PCP, PEV, CDS-PP, Iniciativa Liberal e Chega votaram contra.
Comentários