Profissionais da tecnologia revelam otimismo perante novas oportunidades de emprego em 2021

A maioria destes técnicos sente-se motivada por projetos desafiantes e interessantes, excelente remuneração e benefícios, e trabalho flexível. Quanto aos estilos de trabalho preferenciais para estes profissionais, o top 3 seria a possibilidade de horário flexível, melhor uso de tecnologias, apps e ferramentas, e trabalho 100% remoto.

Os profissionais das Tecnologias da Informação (TI) revelaram otimismo num questionário conduzido pela ‘Robert Walters’, cujo objetivo foi perceber como é que estes trabalhadores encaram o futuro a nível profissional. A grade maioria (88%) está confiante relativamente a oportunidades de emprego no seu sector, com 40% dos profissionais a admitirem que esperam ser aumentados em 2021.

A ‘Robert Walters’ – consultora de recrutamento especializado para postos intermédios e diretivos a nível global, acaba de lançar uma nova plataforma digital para o seu Salary Survey 2021. A plataforma digital inclui informação salarial para centenas de funções em 31 países.

Segundo a investigação, apenas 23% dos profissionais que trabalham em TI são mulheres. Existe uma enorme escassez de talento tecnológico para uma procura muito elevada, principalmente em Lisboa e no Porto. 59% dos profissionais de TI procuram uma nova oportunidade de emprego em 2021.

Quando questionados sobre o que mais valorizam num empregador em 2021, os profissionais de TI destacaram, na sua maioria, projetos desafiantes e interessantes, excelente remuneração e benefícios, e trabalho flexível. Quanto aos estilos de trabalho preferenciais para estes profissionais, o top 3 seria a possibilidade de horário flexível, melhor uso de tecnologias, apps e ferramentas, e trabalho 100% remoto.

Em relação aos salários, a ‘Robert Walters’ prevê que um aumento geral nos salários de TI de aproximadamente 10%, devido à elevada procura e à escassez de talento em tecnologia. O aumento salarial não será tão alto em comparação com os anos anteriores devido à pandemia – em 2020, houve aumentos salariais de até 25% em algumas funções.

Pandemia acelerou a digitalização das empresas

A Covid-19 acelerou em muitos anos a digitalização das empresas, pelo que diversas funções de TI tiveram uma grande procura subitamente para responder às necessidades das organizações de implementar uma força de trabalho totalmente remota, e para garantir que os sistemas corporativos estavam seguros neste novo ambiente. Como resultado, algumas das funções mais procuradas foram aquelas relacionadas com segurança, infraestrutura, administração e transformação digital.

Em contraste, a transformação digital em empresas de tecnologia já tinha começado antes da pandemia, com trabalho remoto, horários flexíveis e políticas de bem-estar como benefícios típicos. Assim, a pandemia global não foi um elemento muito disruptivo para os negócios de TI e dgital. Por um lado, alguns setores tecnológicos tiveram um crescimento exponencial durante a pandemia, como foi o caso do entretenimento online, entrega de comida, jogos e apostas (especialmente mobile), aplicações de videoconferência, marketplace e e-commerce. Por outro lado, algumas das maiores empresas nos sectores de turismo, mobilidade ou aviação foram profundamente impactadas pelo confinamento.

Ler mais
Recomendadas

Pedro Siza Vieira debate defesa do consumidor com comissário europeu da Justiça

No primeiro evento sobre defesa do consumidor patrocinado pela Presidência Portuguesa do Conselho da União Europeia os dos governantes analisaram questões associadas à sustentabilidade dos bens, as implicações do ‘Direito à reparação’, o alargamento do prazo da garantia dos bens e a proteção do consumidor nas plataformas digitais.

Apoio aos pais de menores de 12 anos é calculado com base no salário de dezembro

De acordo com o diploma, para os trabalhadores por conta de outrem, é considerada para efeitos de cálculo do apoio familiar, “a remuneração base declarada em dezembro de 2020”.

Eleições presidenciais: Mais transportes públicos para que portugueses possam votar

Comissão Nacional de Eleições considera “excecionais as situações em que, designadamente, existem distâncias consideráveis entre a residência dos eleitores e o local em que estes devem exercer o direito de voto, sem que existam meios de transporte que assegurem condições mínimas de acessibilidade”.
Comentários