Programa de arrendamento acessível dá isenção fiscal a quem partilha casa

O programa do Governo vai beneficiar quem arrendar parte da sua habitação a preços acessíveis e com um contrato de longa duração, pois não pagará o imposto de 28% sobre o valor da renda cobrada.

Partilhar casa com renda acessível dá isenção fiscal, noticia o Jornal de Notícias (JN) esta terça-feira. O Governo apenas exige que a renda seja 20% inferior ao valor médio do mercado.

Ana Pinho, secretária de Estado da Habitação, garantiu, de acordo com o JN, que o programa do Governo de incentivo à disponibilização de casas com rendas acessíveis vai permitir que a coabitação beneficie a isenção fiscal.

Este novo programa do Governo vai beneficiar quem arrendar parte da sua habitação a preços acessíveis e com um contrato de longa duração, pois não pagará o imposto de 28% sobre o valor da renda cobrada. O decreto-lei que regulamentará este programa deverá ficar pronto no final de março de 2018.

De acordo com Ana Pinho, a iniciativa do Governo nasce do elevado número de habitações subocupadas em todo o país.

Arrendar casas que eram para alojamento local vai trazer benefícios fiscais

Ler mais
Recomendadas

Manuel Pinho volta à comissão de inquérito de Energia a 20 de dezembro

O antigo governante propôs as datas de 18, 19 e 20 de dezembro e a comissão parlamentar de inquérito às rendas excessivas da energia escolheu a última.

“Bolachas Ronaldo”. Café português no Reino Unido envolto em polémica

Relação das bolachas ao alegado caso de violação que envolve, nos Estados Unidos, o futebolista português Cristiano Ronaldo desencadeou uma série de comentários negativos.

António Costa sobre OE2019: “Reduz défice, dívida e aumenta investimento público”

Primeiro-ministro apresentou o OE2019 aos deputados socialistas e não poupou elogios ao documento: “este Orçamento melhora a vida dos portugueses”.
Comentários