Projeções de crescimento do BCE mantêm-se se aumento de restrições só durar até ao final de março

A presidente do Banco Central Europeu considera que as projeções de crescimento económico divulgadas em dezembro “ainda são claramente plausíveis”. Seria apenas “uma preocupação” se as restrições que estão a ser implementadas em vários países da zona euro se mantivessem no seguindo trimestre.

Forum BCE 2020 — Christine Lagarde
BCE

O Banco Central Europeu (BCE) mantém as projeções de crescimento da economia da zona euro, apesar das medidas de restrição no combate à pandemia, aplicadas em vários países, desde que essas medidas sejam levantadas até ao final de março.

Numa entrevista na conferência da Reuters Next, citada esta quarta-feira pela agência noticiosa, Christine Lagarde disse achar que “as nossas últimas projeções em dezembro ainda são claramente plausíveis”.

A presidente do banco central explicou que as projeções assentam na perspetiva de medidas de restrição até ao final do primeiro trimestre, acrescentando que se as restrições se mantivessem no segundo trimestre aí sim seria “uma preocupação”.

Em dezembro, o BCE atualizou as projeções de crescimento do PIB da zona euro para 3,9% este ano, no cenário base. Em 2022, a economia deverá expandir 4,2%. “Comparando com as projeções macroeconómicas do staff do BCE, o outlook para a atividade económica foi revisto em baixa no curto prazo, mas deverá recuperar para os níveis projetados no cenário-base de setembro no médio prazo”, adiantou na altura Christine Lagarde.

No cenário moderado do banco central, a atividade económica deverá retomar de forma menos acelerada, estimando uma recuperação de 6%, face aos 8,9% das projeções anteriores. E, no cenário severo, o BCE antecipa uma ligeira recuperação de 0,4%.

Recomendadas

Pandemia levou a tombo de 14,8% na atividade económica regional entre março e novembro de 2020

Dados do INE, revelados esta sexta-feira, revelaram que no conjunto das regiões portuguesas, a atividade económica tombaram significativamente. Algarve Madeira e Área Metropolitana de Lisbao viram a atividade económica cair mais do que a média nacional. Maiores tombos verificaram-se em atividades de alojamento e atividades artísticas, desportivas e recreativas.

Barómetro ACEGE: Apoios à TAP e empresas afetadas pela pandemia preocupam empresários

Respostas dos empresários e gestores associados do barómetro de janeiro da ACEGE, numa parceria com o Jornal Económico, a Rádio Renascença e a Netsonda, revelam preocupação com efeitos da Covid-19. Mas também sinais de otimismo quanto à evolução das suas empresas e à manutenção dos postos de trabalho.

Exportações de bens da zona euro cresceram para 197 mil milhões de euros em novembro

A zona euro registou um excedente de 25,8 mil milhões de euros em novembro de 2020 no comércio de bens com o resto do mundo. Exportações de bens começam a dar sinais de “um retorno aos níveis pré-Covid”.
Comentários