Projeto da Quinta do Paço Lumiar em exibição na ARCO Lisboa

Com a assinatura do arquiteto Souto de Moura, o projeto a cargo da promotora imobiliária RAR, vai estar em exposição na Feira Internacional de Arte Contemporânea de Lisboa – ARCO Lisboa.

Designado como ‘The art of living’, o projeto da promotora mobiliária RAR, Quinta do Paço Lumiar pode ser visto na Feira Internacional de Arte Contemporânea de Lisboa – ARCO Lisboa, que decorre na Cordoaria Nacional, entre os dias 16 e 19 de maio.

O projeto com assinatura do arquiteto Eduardo Souto de Moura é um condomínio de moradias com tipologias T3 e T4, estando situado numa das zonas históricas de Lisboa, o Paço do Lumiar.

O conceito ‘The Art of Living’, será usado para “dar vida a um lifestyle e arte de viver próprio de quem procura no habitar verdadeiros lugares de felicidade”, refere Maria Ramalho Fontes, responsável de marketing da RAR Imobiliária.

Este projeto de acordo com José António Teixeira, administrador da RAR Imobiliária, passa por tornar a promotora nun “player de referência na zona sul do país, reforçando a aposta estratégica em projetos de arquitetura alicerçados na cultura do habitar contemporâneo”.

Maria Ramalho Fontes explica que na ARCO Lisboa estará exposta “a maquete do projeto e estarão suspensas diversas telas que procuram simular a ideia de galeria, como se o movimento ascendente das mesmas desvendasse esta obra de arte. No páteo da Cordoaria Nacional de acesso ao vip lounge, será colocado um Cubo, que pretende retratar o páteo interior, elemento característico da arquitetura de Souto de Moura, assim como informação do projeto”.

Recomendadas

CCB espera escolher e fazer contrato ainda este ano para hotel e zona comercial

Em causa está a análise da única proposta candidata ao projeto, apresentada pela construtora Mota-Engil, e a comissão criada para o efeito terá ainda de avaliar se são cumpridos todos os requisitos do caderno de encargos.

Premium“A classe média ainda não pode viver em Lisboa”

CEO e fundador da Essentia explica que, apesar de existir uma estabilização dos preços no mercado da reabilitação urbana, os portugueses que chegam ao centro histórico da cidade pertencem à “classe média alta e alta”.

Operadores do alojamento local em Lisboa ponderam “migrar” para arrendamento habitacional

No seu entender, a transição destes estabelecimentos para o arrendamento permanente “é uma oportunidade enorme” para fazer aumentar a oferta de habitação.
Comentários