Promessa climática. O futuro do clima depende do investimento das empresas

“As organizações ao unirem-se podem passar sinais muito fortes de que descarbonizar tecnologias e serviços é um bem necessário”, apontou Kara Hurst da Amazon.

Não só de tecnologia se fala no universo digital da Web Summit. A sustentabilidade é também um dos temas centrais da conferência. Para abordar o investimento num futuro mais focado no clima, Kara Hurst, chief sustainability officer da Amazon e Juan de Antonio, CEO da Cabify, conversaram sobre como o investimento por parte das empresas é extremamente importante.

“O nosso trabalho começou quando pensámos nas nossas habilidades de utilizar a inovação e velocidade da Amazon para o bem, mas também começámos a ver o lado científico”, explicou Hurst, notando “a urgência de agir” quando “os efeitos das alterações climáticas estavam a ser sentidos a um ritmo mais acelerado e intenso do que o previsto pelos cientistas”.

A promessa climática foi criada para a comunidade empresarial “porque sabíamos que não podíamos estar nisto sozinhos”. “As organizações ao unirem-se podem passar sinais muito fortes de que descarbonizar tecnologias e serviços é um bem necessário”, apontou Kara Hurst. De facto, à promessa climática da Amazon juntaram-se empresas como a Cabify, Jetblue, Rivian e Uber, mostrando um crescimento rápido e a ambição global em salvar o planeta.

A Cabify foi uma das primeiras empresas de serviço ride-hailing que alterou as regras e só permitiu que os motoristas tivessem veículos elétricos, melhorando o serviço e o planeta uma viagem de cada vez. De acordo com Juan de Antonio, 2020 é “o segundo ano consecutivo em que somos neutros em carbono” e o apoio a iniciativas ‘verdes’ de elevado impacto continuam no Brasil, Chile e Peru.

Segundo Kara Hurst, os objetivos assinados pela Amazon estão cada vez mais próximos de ser atingidos. “Quando formámos a promessa climática comprometemo-nos com um caminho neutro em carbono até 2040, com energias renováveis até 2024 e totalmente renováveis até 2030”. “Às vezes olhamos para estes objetivos e pensamos se podíamos ir mais rápido e agora pensamos que podemos atingir energia 100% limpa em 2025, o que é bastante entusiasmante”, disse Hurst.

Atualmente com mais de 90 projetos climáticos em mão, a chief sustainability officer da Amazon destacou a criação do primeiro parque eólico europeu na Suécia, do maior parque solar no Reino Unido e do primeiro projeto de energia renovável em larga escala em Espanha, mostrando que o futuro da promessa está bem assegurado.

Relativamente à frota, sabendo que é um dos maiores emissores de carbono, Kara Hurst revelou que também a mudança a esta fase está a chegar. “Quando anunciámos a promessa climática comprometemo-nos no maior pedido de veículos elétricos. Pedimos 100 mil veículos da Rivian“, disse a responsável, admitindo que estes começam a chegar em 2021, esperando ter até 10 mil nas estradas até 2022 e a totalidade dos 100 mil até 2030.

“Mais recentemente pedimos 18 mil carrinhas elétricas da Mercedes-Benz, e esta foi a maior encomenda de veículos elétricos que a fabricante já recebeu”, realçou Kara Hurst.

Ler mais
Recomendadas

Web Summit. Tóquio2020 vão ser os primeiros Jogos da 4.ª revolução industrial, realça COI

Com medalhas feitas com material eletrónico reciclado, veículos sem condutor com zero emissões poluentes, a rede de quinta geração (5G), a realidade aumentada e a robótica, Tóquio2020 vai “exibir universalidade, sustentabilidade e tecnologia”, e dará uma “mensagem de esperança e resiliência” ao mundo”, assinalou Thomas Bach, presidente do Comité Olímpico Internacional (COI), na Web Summit.

Web Summit. “Anseio estar convosco em Lisboa em 2021”, diz Marcelo Rebelo de Sousa

Marcelo Rebelo de Sousa despediu-se da maior cimeira de tecnologia do mundo com o forte desejo e convicção de que em 2021 volte o formato presencial, sublinhando a importância do contacto presencial, mas também de uma edição tão marcante como esta.

Web Summit. Membro da Comissão Federal de Eleições desvaloriza “teoria da conspiração” sobre fraude eleitoral

Ellen Weintraub sublinhou que a polarização de Washington se faz sentir sobretudo numa agência dividida a meio entre os dois partidos e que as declarações do presidente da Comissão não são censuráveis, mas preocupam-na por “não terem qualquer tipo de fundamento”.
Comentários