Promotora brasileira vai investir 65 milhões de euros na Grande Lisboa até 2022

Até ao final deste ano a Rio Capital vai investir 35 milhões de euros estando os restantes 30 milhões previstos para 2022, em projetos virados para o mercado residencial e de estudantes.

A Rio Capital vai investir 65 milhões de euros na região da Grande Lisboa até 2022. O objetivo passa por desenvolver empreendimentos virados para o mercado residencial, mas também de estudantes, tal como informa a promotora brasileira em comunicado esta quarta-feira, 27 de janeiro.

O projeto mais recente é o Avenida Living localizado nas Avenidas Novas, junto à Avenida da República, num valor de nove milhões de euros, numa vertente de reabilitação urbana. O edifício é composto por oito apartamentos e uma loja, com tipologias T3, T3 Duplex e T4, sendo que todos os apartamentos têm terraços privativos e lugares de estacionamento.

Desde a sua chegada a Portugal em 2019, a promotora já desenvolveu seis projetos, num volume total de aproximadamente 30 mil m2 de construção, onde se destaca o Cruz da Pedra Palace, já 100% vendido, um palacete do século XVII transformado em condomínio privado de luxo, composto por 13 apartamentos com vista frontal para o rio Tejo, com, spa, piscina, ginásio e concierge, perto do bairro do Chiado e da Avenida da Liberdade.

Um outro projeto já em desenvolvimento é o ‘Vila Viva’ situado em Vila Franca de Xira, com 85 apartamentos dirigido à classe média portuguesa, para jovens que procuram a primeira casa própria e a famílias que estão dispostas a morar fora do centro de Lisboa e ter uma excelente qualidade de vida, com apartamentos maiores a preços acessíveis.

Em março de 2020, em pleno início da pandemia, foram vendidos 45 apartamentos numa primeira fase e na segunda fase, dos 40 apartamentos já foram vendidos 10.

No próximo mês de fevereiro será lançadona área das residências de estudantes um empreendimento com 330 quartos individuais, que será construído no Monte da Caparica, perto da Universidade Nova. Também este ano a promotora brasileira vai lançar um empreendimento residencial em Alcântara, perto do LX Factory e do Hospital da CUF Alcântara. Serão perto de 40 apartamentos compactos de tipologias T1 e T2.

Júlio Luz, CEO da Rio Capital, assume que “o mercado imobiliário pode ter desacelerado com a pandemia, mas em nenhum momento parou, o que demonstra que Portugal é um país altamente seguro e atrativo para investimentos. Com todas as condições já amplamente reconhecidas como a posição geográfica, o clima e infraestruturas modernas e eficientes”.

Ler mais
Recomendadas

Preço do m2 das ‘penthouses’ subiu quase 10% em 2020

Pandemia tem levado a uma procura de casas com espaços maiores tanto a nível exterior como interior. Apartamentos com quatro ou mais quartos foram os únicos a registar uma descida no preço do m2.

Portugal registou 46.340 fogos em licenciamento em 2020

Este pipeline ficou 2% abaixo do registado em 2019 em número de fogos (19.040), mas superou em 5% o número de projetos (47.150).

Imobiliárias europeias deverão recuperar lucros pré-Covid em 2022

As 20 maiores imobiliárias da Europa irão terminar 2021 com um lucro conjunto de 9,2 mil milhões de euros, o que significa que vão quadriplicar o resultado alcançado em 2020.
Comentários