PRR: Investimento de 1,2 mil milhões na reestruturação do parque de habitação social

O objetivo passa por relançar a política de habitação social tanto em Portugal continental, como nas Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira, reforçando o parque habitacional público dando resposta a situações claras de precariedade habitacional.

Cristina Bernardo

O Governo pretende investir 1,2 mil milhões de euros para reestruturar o parque de habitação social. Esta é uma das medidas que fazem parte do programa do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) divulgado esta quinta-feira, 15 de outubro.

No documento, o Executivo explica que este investimento se deve ao facto de que em Portugal, o parque habitacional público representa apenas 2% da oferta global de habitação, destinando-se exclusivamente a satisfazer públicos mais vulneráveis.

O objetivo passa por relançar a política de habitação social tanto em Portugal continental, como nas regiões autónomas dos Açores e da Madeira, reforçando o parque habitacional público dando resposta a situações claras de precariedade habitacional.

Para tal, o Executivo pretende fazer um investimento de 136 milhões de euros no reforço da oferta de habitação na Região Autónoma da Madeira e 60 milhões de euros para aumentar as condições do parque habitacional na Região Autónoma dos Açores.

Além disso, o Governo vai também investir 186 milhões de euros numa bolsa nacional de alojamento urgente e temporário, por forma a poder ajudar imigrantes, refugiados e pessoas cujo o rendimento foi reduzido ficando em situações de carência habitacional grave.

Relacionadas

PremiumOE transfere 317 milhões para promoção de habitação

Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana (IHRU) fica encarregue de promover novas políticas de habitação e recebe ainda dez milhões para a recuperação património do Estado. Beneficiários de heranças indivisas ficam isentos do pagamento do IMI.

Plano de Recuperação e Resiliência vai permitir “maior investimento de sempre na CP e habitação”, diz Pedro Nuno Santos

O ministro das Infraestruturas e da Habitação refere que o investimento deste plano nacional deve ser feito onde é necessário e onde tem capacidade para provocar mudanças estruturais na sociedade portuguesa.
Recomendadas

Preço médio das rendas subiu perto de 2% em setembro

Viana do Castelo, Viseu, Porto e Aveiro foram os distritos que apresentaram a maior variação no preço médio. Em sentido inverso, Bragança registou a maior quebra no preço médio de arrendamento face ao mês de agosto, de acordo com os dados do portal Imovirtual.

Urbiwise lança serviço profissional para o mercado imobiliário

Plataforma de inteligência artificial criou o serviço Urbiwise PRO que vai permitir uma atualização diariamente, para suportar a decisão de agências e agentes imobiliários, investidores, utilities, bancos, seguradoras, entre outros com interesse no setor imobiliário.

“As casas vão aparecer. Não houve fuga dos investidores”, afirma diretor da JLL

Pedro Lancastre assume que o mercado imobiliário tem reagido bem à pandemia do novo coronavírus, com o segmento residencial e logístico a serem aqueles que mais vantagens têm tirado.
Comentários