“Prudência” é a palavra favorita do novo CEO da Galp para “um ano duro”

Na primeira teleconferência com os analistas, Andrew Brown disse que a Galp não quer ser avaliada apenas pelo dividendo, mas concedeu que os investidores precisam de ‘clareza’ sobre o assunto e por isso a empresa vai organizar um ‘Capital Markets Day’ em maio.

A Galp adoptou uma atitude de prudência em várias frentes, incluindo na remuneneração acionista, e apesar de não querer ser avaliada apenas pela distribuição de dividendos acredita que esta é uma área na qual os investidores precisam de “clareza”, disse esta segunda-feira o novo CEO, Andrew Brown. Para esse efeito, a Galp vai realizar um Capital Markets Day em maio deste ano.

Na primeira teleconferência com os analistas, Brown sublinhou que a empresa projeta investimento ‘capex’, líquido de alienações, de entre 500 milhões e 700 milhões de euros para este ano.

“Dado que vamos ser prudentes no ‘capex’, temos de o ser na remuneração dos acionistas”, disse, reiterando que em relação ao exercício de 2020 o board vai propôr um dividendo de 0,35% por ação.

“Este é um corte de 50% do nosso dividendo pré-Covid de 0,70 euros por ação, mas reflete a desaceleração económica que experimentamos e reflete alguma prudência no futuro para mantermos o nosso balanço”, sublinhou. Apesar da recuperação de 2020 a 2021, vai ser um ano duro, principalmente nos negócios do midstream e downstream, onde a empresa vê sinais reais de recuperação ainda.

Brown explicou que embora os preços do petróleo tenham subido para 60 dólares ou mais, a Galp não tomou isso como base para o planeamento, usando o patamar de 50 dólares por barril para o guidance.

“Somos uma empresa que tem um crescimento diferenciado, uma empresa que não quer ser avaliada apenas pela distribuição de dividendos, queremos combinar crescimento e retorno para os acionistas”, vincou o CEO.

“Respeito que precisamos criar alguma clareza em torno disso e, portanto, teremos um Capital Markets Day em maio, quando poderei descrever o que tenho feito nos meus primeiros cem dias no cargo”, adiantou.

Segundo Brown, a empresa irá apresentar nesse evento uma política de dividendos, para ser mais clara e dar mais certezas aos acionistas sobre a remuneração.

Para 2021, a Galp espera aumentar o dividendo para 0,50 euros por ação.

Questionado sobre se a empresa poderá considerar pagar parte desse dividendo, de forma intercalar ainda este ano, o CEO reagiu com cautela. “Teremos de ver como o mercado desenvolve. Estamos em confinamento geral em Portugal, um dos nossos mercados chave, portanto o que acontecce com a Covid-19 e como está a nossa confiança, e espero poder declarar o pagamento desse dividendo intercalar”.

[Atualizada às 15h47]

Relacionadas

Meta de produção da Galp para 2021 desilude e ações tombam 3%

Os analistas ficaram desapontados com o ‘guidance’ empresa sobre a produção de petróleo este ano, que vai ficar entre 125 mil e 135 mil barris por dia, prevendo uma reação negativa do mercado. Em relação à nova política de dividendo, a opinião divide-se entre alguns elogios e desilusão.

Galp. Empresa anuncia dividendo de 35 cêntimos relativo a 2020 e de 50 cêntimos para o exercício de 2021

A empresa vai propor aos seus acionistas um corte de 50% no dividendo de 2020 em comparação com o do ano anterior. Para o exercício de 2021, a Galp pretende pagar 50 cêntimos de dividendo, com um pagamento intercalar no terceiro trimestre deste ano “dependendo da performance” da empresa”.

Galp fecha ano de 2020 com prejuízos

A Galp registou 42 milhões de euros de prejuízo em termos de resultado líquido ajustado, em termos de resultado líquido IFRS registou prejuízos de 551 milhões de euros.
Recomendadas

Livro revela que Elon Musk tentou ser CEO da Apple, mas dono da Tesla desmente rumor

“Não quero ser CEO de nada”, escreveu o Elon Musk na rede social Twitter na passada sexta-feira.

Testes de ‘stress’ do BCE analisaram Novo Banco entre os 51 médios e pequenos bancos abrangidos

De acordo com os dados publicados pela instituição, o banco liderado por António Ramalho poderia, num cenário adverso, perder entre 600 e 899 pontos base e atingir um CET1 ‘fully loaded’, ou seja, tendo em conta futuras exigências de capital, abaixo de 8%.

Discotecas podem reabrir no domingo com regras da restauração, afirma associação

“Um estabelecimento que é considerado como discoteca tendo o CAE de bar, à imagem daquilo que os bares podem fazer, neste momento, que é estar abertos até às duas da manhã, com regras da restauração, sendo que estas regras da restauração não é obrigatoriedade de servir comida, mas sim têm a ver com distanciamento entre mesas, o número limitado de pessoas por mesa ou a exigência de certificado digital à porta durante o período de fim de semana, portanto estas regras da restauração aplicadas aos bares permitem também a discotecas com CAE de bar que o façam”, declarou o presidente da ADN.
Comentários