PSI 20 acompanha Europa em alta, com investidores a reagirem à avaliação da Moody’s

Na sexta-feira, 9 de agosto, a Moody’s decidiu manter o rating da dívida portuguesa em “Baa3”, um nível acima de dívida especulativa, embora a perpspetiva tenha sido elevada de “estável” para “positiva”. O principal índice bolsista português avança 0,67%, para 4.891,37.

O principal índice bolsista português (PSI 20) avança 0,67%, para 4.891,37, em linha com as principais praças europeias esta segunda-feira. Depois de uma semana de negociações voláteis, os investidores ensaiam uma performance positiva apesar do aumento de tensão entre os Estados Unidos e a China e das situações políticas italiana, britânica e espanhola. Em Lisboa, 14 empresas cotadas negoceiam em alta, três em queda e uma inalterada.

A bolsa nacional beneficia também da decisão da agência de rating Moody’s ter decidido manter o rating da dívida portuguesa em “Baa3”, um nível acima de dívida especulativa, embora a perpspetiva tenha sido elevada de “estável” para “positiva”. A decisão foi tomada na sexta-feira, 9 de agosto, com a Moody’s a justificar-se com a trajetória de descida da dívida no Produto Interno Bruto e a melhoria da situação no setor bancário, apesar da agência ter considerado “o fardo da dívida” pública elevado continua a limitar a possibilidade de melhoria da notação.

Os títulos da Jerónimo Martins (1,55%), da Mota-Engil (1,46%), da Ibersol (1,47%), da F. Ramada (1,97%), da EDP (1,04%) e do BCP (0,53%) impulsionam o PSI 20.

Destaque para o BCP que recupera de fortes perdas registadas nas últimas semanas, refletindo os resultados e as previsões apresentadas pela entidade liderada por Miguel Maya, mas também o cenário de taxas de juro historicamente baixas que parece estar para durar.

Em contraciclo, as perdas de Sonae Capital, Corticeira Amorim e REN não prejudicam a praça nacional.

Recomendadas

Bolsa de Lisboa em queda com deslize da Galp. Europa encerra em baixa

Os resultados do UBS e o vírus da China que penalizaram o sentimento dos investidores nas bolsas europeias, dizem os analistas. Por cá a Galp foi afetada pela queda do price-target da Morgan Stanley. Já o BCP conseguiu fechar em terreno positivo.

“Mercados em Ação”: Assista ao programa desta semana

Acompanhe o “Mercados em Ação” no site e nas redes sociais do Jornal Económico. E reveja-o através da plataforma multimédia JE TV.

Wall Street em baixa e ressente-se do novo vírus da China

A Comissão Nacional de Saúde da China confirmou que coronavírus é transmissível entre humanos, tendo o vírus chegado aos maiores centros urbanos chineses, incluindo a capital, Pequim, a cidade de Shanghai. A situação está a ter impacto particularmente nos títulos das companhias aéreas e nos operadores de casinos e hóteis norte-americanos. Previsões do Fundo Monetário Internacional sobre o crescimento da economia mundial e nos Estados Unidos também estão a pesar no sentimento dos investidores.
Comentários