PSI-20 em alta com BCP em destaque. Europa fecha mista

As praças europeias foram oscilando entre ganhos e perdas ao longo da sessão e a maioria acabou por conseguir encerrar em alta. A banca esteve entre os mais animados, no dia em que surgiram notícias de que o setor nos EUA se prepara para aumentar a distribuição de dividendos e a recompra de ações próprias”, diz analista.

O índice da bolsa de Lisboa fechou a sessão desta sexta-feira com uma subida de 0,19% para 5.087,01 pontos. A banca esteve em destaque nas praças europeias e o BCP subiu 1,47% para 0,1445 euros.

A Navigator subiu 1,25% para 2,91 euros e a Corticeira Amorim avançou 1,15% para 10,58 euros.

A EDP travou os ganhos da bolsa ao recuar 1,23% para 4,50 euros. Nas quedas, destaque para a Novabase que perdeu 1,18% para 0,1004 euros.

“As praças europeias foram oscilando entre ganhos e perdas ao longo da sessão e a maioria acabou por conseguir encerrar em alta. A banca esteve entre os mais animados, no dia em que surgiram notícias de que o sector nos EUA se prepara para aumentar a distribuição de dividendos e a recompra de ações próprias, depois da resiliência revelada nos stress tests realizados pela Fed, onde o rácio de capital CET1 ficou globalmente muito acima dos requisitos mínimos”, avança o analista dos mercados Millennium BCP Ramiro Loureiro.

O sector de recursos naturais liderou os ganhos europeus. Já o de viagens e lazer foi quem mais perdeu, apesar do Reino Unido ter adicionado países à sua Green List. De resto fabricantes de material desportivo como Adidas e Puma foram impulsionadas pelo ambiente gerado após as boas contas da Nike, ainda segundo a análise do BCP.

O EuroStoxx 50 acabou por fechar em queda ligeira de 0,04% para 4.120,7 pontos, mas o Stoxx 600 subiu 0,13%.

O FTSE 100 subiu 0,37% para 7.136 pontos, o CAC caiu 0,12% para 6.622,9 pontos, ao passo que o DAX subiu 0,12% para 15.608 pontos, O FTSE MIB valorizou 0,35% para 25.510,5 pontos e o IBEX subiu 0,23% para 9.095 pontos.

No plano macroeconómico, hoje ficou a conhecer-se que o sentimento entre os exportadores alemães melhorou significativamente em junho, com o Ifo Export Expectations da indústria a subir de 22,5 pontos em maio para 26,0 pontos, de 22,5 pontos em  junho. Este é o seu maior nível desde janeiro de 2011.

Um fator que beneficia a indústria exportadora “são os efeitos de catch-up globais devido a a crise do coronavírus”, diz o Ifo.

Quase todas as indústrias alemãs esperam um aumento nas exportações, exceto os fabricantes de vestuário que esperam que as vendas internacionais diminuem.

O euro sobe 0,03% para 1,1935 dólares.

A dívida soberana alemã sobe 3,32 pontos base para -0,16%. Ao passo que a dívida portuguesa a 10 anos dispara 4,97 pontos base para uma yield de 0,46%. As dívidas espanhola e italiana sobem 5,08 pontos base e 5,82 pontos base, respetivamente. As yields estão nos 0,48% e 0,92%, respetivamente.

O petróleo Brent em Londres sobre 0,75% para 76,13 pontos base.

Recomendadas

Fundos ESG ainda têm muito espaço para crescer em Portugal

No ano passado, a maioria das subscrições de fundos ESG foram feitas por pessoas singulares (99,2%), segundo os dados da CMVM, que mostram que as subscrições líquidas se revelaram nos quatro últimos anos, apesar de 2020 ter apresentado uma diminuição de 75% face a 2019.

Wall Street fecha em alta primeira semana de resultados trimestrais

O sector financeiro arrancou mais uma época de resultados trimestrais com lucros que superaram as expectativas do mercado, impulsionando os três principais títulos norte-americanos a ganhos na semana.

PremiumMinutas da Fed sinalizam ‘tapering’ em novembro

Reserva Federal norte-americana sinalizou início do ‘tapering’ no próximo mês. Inflação pressiona ações. Começou a apresentação de resultados nos Estados Unidos.
Comentários