PSI-20 fecha a subir puxado pelas ações do grupo EDP. CAC 40 é exceção a ganhos na Europa

As notícias recentes da EDP deram um impulso às ações. Lisboa fechou em linha com a Europa. Dívida pública continua a escalar. Também o petróleo voltou a subir esta terça-feira.

O PSI-20 fechou esta terça-feira a subir 0,92% para 5.670,98 pontos com as ações da EDP Renováveis a subirem 2,39% para 22,28 euros. Por sua vez a EDP valorizou 1,73% para 4,77 euros, no dia em que o CEO da empresa, Miguel Stilwell, participa no UK Global Investment Summit em Londres.

Hoje foi anunciado que a EDP alienou três lotes no Brasil à Actis Assessoria Investimentos por 1.329 milhões de reais (210 milhões de euros). A EDP Brasil, detida em 52,64% pela EDP, celebrou um contracto de compra e venda com a Actis Assessoria Investimentos Ltda. para a venda da totalidade de um portefólio de transmissão composto por três lotes, com uma extensão de 439 quilómetros e com uma Receita Anual Permitida no valor de 131 milhões de reais. Em causa está um portefólio de transmissão de energia da EDP Brasil – a EDP Transmissão (Lote 24), a EDP Maranhão I (Lote 7) e a EDP Maranhão II (Lote 11).

Hoje também a casa de investimento JB Capital cortou a recomendação para a EDP Renováveis para JB Capital corta recomendação para a EDP Renováveis, mas sobe preço-alvo, mas subiu o preço-alvo para 24 euros por ação.

A Corticeira Amorim ganhou 3,43% para 12,66 euros. Destaque para o BCP, que interrompeu uma sequência de quedas e fechou a subir 0,52% para 0,1538 euros.

Pela negativa destacaram-se a Semapa que recuou 1,28% para 12,30 euros; a Novabase que caiu 1,26% para 4,72 euros e a NOS que perdeu 1,12% para 3,36 euros.

Na Europa o verde dominou a exceção foi para o índice de Paris que caiu -0,05% para 6.669,8 pontos.

O EuroStoxx 50 valorizou 0,37% para 4.166,8 pontos e o Stoxx 600 avançou 0,33%.

Nas principais praças, o FTSE 100 valorizou 0,19% para 7.217,53 pontos; o DAX fechou em alta de 0,27% para 15.515,8 pontos; o FTSE MIB ganhou 0,25% para 26.333 pontos e o IBEX fechou com ganhos de 0,67% para 8.996,3 pontos.

As praças europeias fecharam na sua maioria em alta ligeira. No exterior, o sector de recursos naturais liderou os ganhos no universo Stoxx600. Já o de viagens e lazer foi menos otimista, com destaque para uma reavaliação do setor aéreo por parte da Berenberg.

No seio empresarial, a Software AG desvalorizou 10,94% devido ao corte de guidance no crescimento anual de pedidos.

O banco Credit Suisse (+1,14%) foi hoje notícia por estar perto de um acordo com o governo dos Estados Unidos da América no caso que analisa o envolvimento da instituição bancária no chamado “escândalo das dívidas ocultas” de Moçambique, refere a Bloomberg. De acordo com a agência de informação financeira, que cita fontes próximas do processo, as discussões entre o banco suíço e o equivalente ao Ministério da Justiça dos EUA evolvem o adiamento do processo de acusação e uma multa, podendo o acordo oficial ser anunciado já hoje.

O petróleo Brent está hoje a subir 1,02% para 85,19 dólares, tal como o crude nos EUA avança 1,29% para 83,5 dólares.

O euro está a subir 0,20%  para 1,1633 dólares.

O mercado de obrigações soberanas continua a sua trajectória de subida dos juros. A dívida alemã está a subir 4,21 pontos base para -0,11%. Portugal tem os juros a subirem 3,21 pontos base para 0,41%; Espanha também com os juros em alta de 3,89 pontos base para 0,53% e Itália também vê os juros subirem 0,95%.

Recomendadas

Eila Kreivi: “Já não possível alterar a direção do comboio [do investimento sustentável]”

Em entrevista ao Jornal Económico, a diretora do Departamento de Mercados de Capitais do Banco Europeu de Investimentos, reconhecida como a “mãe das obrigações verdes”, considera que a relação entre o sistema financeiro e a sustentabilidade deverá estreitar-se e que isso terá reflexos no mercado.

Sector tecnológico castiga Wall Street numa semana vermelha

A semana terminou com perdas, depois da descoberta da variante Ómicron ter causado preocupações nos investidores. Sectores como o tecnológico e o das viagens foram os mais castigados num dia em que títulos pró-cíclicos, como a banca, também não escaparam às perdas.

PSI-20 ao nível pré-pandémico em novembro próximo dos 5.500 pontos

No final de novembro de 2021, o PSI 20 atingiu o valor de 5.433,1 representando uma diminuição mensal de -5,2% invertendo a trajetória positiva iniciada no mês de agosto.
Comentários