PSI 20 perde fulgor e negoceia em baixa. Galp, BCP e Jerónimo Martins pressionam bolsa

O sentimento do mercado está a ser marcado pelos novos confinamentos decretados em França e na Alemanha que terão consequências económicas.

O PSI 20 perdeu fulgor e está a negociar em baixa a meio da manhã, recuando 0,43% para 3,872.00 pontos.

A bolsa nacional está a ser pressionada pelas quedas da Galp, do Millennium bcp e da Jerónimo Martins.

A energética portuguesa cede 1,05%, para 6,79 euros, penalizada pela queda do preço do petróleo. Em Londres, o barril de Brent cai 3,73%, para 38,17 dólares. Nos Estados Unidos, o WTI cede 4,01%, para 35,89 dólares.

Os títulos do BCP, que esta tarde apresenta os resultados dos primeiros nove meses do ano, estão a perder 1,42%, para 0,0693 euros. Já a Jerónimo Martins, que apresentou resultados esta quarta-feira, perde 2,28%, para 13,72 euros.

Perto das 11h30 em Portugal continental, são 13 as cotadas a negociar em baixa, uma inalterada (Sonae Capital) e quatro em alta, lideradas pelos ganhos da EDP Renováveis, que avança 1,94%, para 15,76 euros, com o mercado a reagir positivamente à diminuição dos lucros nos primeiros nove meses do ano em termos homólogos.

Entre as principais praças europeias, a tendência é agora negativa. Apenas o britânico FTSE 100 negoceia ligeiramente em alta. O Ibex 35 é por enquanto o índice mais penalizado, cedendo 1,42%, para 6,382,80 pontos, castigado pelas desvalorizações da Inditex e da Telefonica.

O sentimento do mercado está a ser marcado pelos novos confinamentos decretados em França e na Alemanha que terão consequências económicas — o encerramento alemão é parcial.

Os investidores centram-se agora na reunião do Conselho de Governadores do Banco Central Europeu que divulga a decisão sobre política monetária esta quinta-feira, às 12h45 em Portugal continental.

Ler mais

Relacionadas

Bolsa portuguesa impulsionada por Jerónimo Martins, EDP e EDP Renováveis

O PSI 20 acompanha o sentimento otimista das principais praças europeias.

‘Falcões’ vs ‘pombas’ no BCE. Lagarde vai dar sinal forte, mas tensões devem adiar estímulos

O banco central da zona euro está novamente dividido entre os que querem mais estimulos já e os que preferem aguardar. Christine Lagarde tem espaço de manobra e deverá aguardar até dezembro, quando tiver novas projeções e melhor visão sobre riscos politicos. A mensagem de hoje deverá ser, portanto, de promessa de agir face ao aumento de riscos.

Lucros da EDP Renováveis descem 7% até setembro

A queda dos lucros deve-se ao recuo da produção de eletricidade que, por sua vez, se deve à venda de ativos com uma potência superior a 1 gigawatt.
Recomendadas

Vacinas e novo pacote de estímulos animam Wall Street

A nível económico, o destaque do dia vai para um novo possível pacote de estímulos nos Estados Unidos, de 908 mil milhões de dólares proposto pelo Congresso.

Grupo EDP, Mota Engil e Jerónimo Martins penalizam PSI 20 que não seguiu ganhos na Europa

As ações da EDP caíram 1,25%, para 4,41 euros, e as da EDP Renováveis perderam 2,14%, para 17,38 euros, testemunhando a reação do mercado à saída de cena de António Mexia e de João Manso Neto da liderança das duas empresas para o próximo mandato.

Wall Street entra em dezembro em alta

As ações da Moderna, da Pfizer e da Tesla prolongam a tendência de ganhos no início da sessão em Wall Street.
Comentários