PSI-20 acompanha praças europeias em alta. EDP Renováveis impulsiona índice português

O principal índice bolsista valoriza 0,92% para 4.104,50 pontos impulsionado pelos ganhos da EDP Renováveis e a Novabase.

O principal índice bolsista prossegue a manhã em alta à semelhança do que se assiste nas principais praças europeias. Assim, o PSI 20 valoriza 0,92% para 4.104,50 pontos impulsionado pelos ganhos da EDP Renováveis e a Novabase.

A energética renovável sobe 3,54% para 14,64 euros a meio da sessão, enquanto que a empresa especializada em IT valoriza 2,37% para 3,450 euros, um dia depois da empresa ter reforçado a parceria com o Instituto Superior Técnico.

Em alta, a praça portuguesa regista a Jerónimo Martins que cresce 2,48% para 14,04 euros, a EDP sobe 1,26% para 4,25 euros e os CTT avançam 1,19% para 2,55 euros.

Em sentido contrário, o PSI 20 regista a Pharol (-1,68% para 0,1056 cêntimos), a Mota-Engil (-1,48% para 1,070 euros) e a Corticeira Amorim (-1,33% para 10,36 euros).

As restantes praças europeias seguem a manhã no verde. O vizinho IBEX 35 valoriza 0,44% para 6.746,00 pontos, a francesa CAC 40 avança 0,59% para 4.831,98 pontos e a europeia Euro Stx 50 ganha 0,21% para 2.905,00 pontos.

Já a alemã DAX sobe ligeiramente, 0,02% para 12.765,40 pontos enquanto que a britânica Ftse 100 avança 0,89% para 5.917,15  pontos contrariando as preocupações vindas de Bruxelas depois de ter notificado o governo de Boris Johnson pelo incumprimento das medidas acordadas para o acordo do Brexit.

Ler mais

Recomendadas

Wall Street fecha em alta graças à economia e às tecnológicas

A taxa de crescimento da maior economia do mundo surpreendeu os investidores. O crescimento do PIB e os resultados das empresas Facebook, Alphabet, Amazon e Apple puxaram pela bolsa de Nova Iorque que fechou em alta apesar da nova vaga da pandemia.

EDP desiste do processo contra o Estado na CESE. Custos superam probabilidade de sucesso

A energética anunciou ainda que vai pedir a Bruxelas a análise da conformidade relativamente ao futuro do mecanismo de financiamento da Tarifa Social. “A EDP não questiona a existência da Tarifa Social em si mesma, com cujo propósito concorda, mas não pode, atendendo à evolução do respectivo regime, conformar-se com os termos de financiamento”.

Lucro da EDP desce 8% para 422 milhões de euros nos nove meses

A energética salientou que prejuízo em Portugal foi de 23 milhões de euros, numa sequência de perdas que começou em 2018. A nível do grupo, o EBITDA – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização – recuou 2% para 2.625 milhões de euros
Comentários