Publicidade ao chocolate vai ser quase extinta

A guerra ao açúcar vai provocar uma forte redução da publicidade de produtos como chocolate, bolos, iogurtes, fiambre, queijo ou cereais de pequeno almoço.

A guerra ao açúcar em Portugal vai provocar uma grande redução na publicidade dirigida a menores de muitos iogurtes e do chocolate, avança o jornal Público esta terça-feira, 23 de julho.

Entre os produtos que vão deixar de ser publicitados junto a escolar, parques infantis, redes sociais, e em programas de televisão e de rádio encontram-se chocolates, bolos, gelados, refrigerantes, bolachas, cereais de pequeno-almoço, iogurtes, fiambre, queijo ou refeições pré-preparadas.

A lei que restringe esta publicidade entrou em vigor há três meses, e devia arrancar em junho, mas a Direção-Geral de Saúde (DGS) ainda precisa de publicar o despacho com o perfil nutricional  destes alimentos.

A DGS alega que ainda está a consultar “parceiros, como peritos e a indústria agro-alimentar, considerando que 60 dias é um “período manifestamente curto”.

Um especialista consultado pelo Público, que pediu o anonimato, disse que “não haverá um chocolate à venda no país que consiga escapar à proibição de publicidade”.

Recomendadas

Descubra a NAV, segundo o humor do secretário de Estado das Comunicações

Alberto Souto de Miranda acredita que os próximos dez anos da empresa responsável pela gestão do tráfego aéreo em Portugal “serão uma história de sucesso para celebrar”.

IP relança concurso para linha ferroviária da Beira Alta com preço base de 80 milhões

O anterior concurso foi anulado por todas as propostas concorrentes terem superado o valor base inscrito no caderno de encargos, atrasando todo o processo.

Grupo Vila Galé vai entrar no setor agroindustrial

O grupo hoteleiro vai investir numa central de fruta, para produzir e vender fruta, compotas de fruta, fruta laminada e fruta desidratada, para abastecer a cadeia e vender a clientes externos.
Comentários