Quantos dias tem de trabalhar para pagar um iPhone 11 Pro de 1.179 euros?

Em Portugal, o iPhone 11 Pro será vendido a 1.179 euros. O site Picodi elaborou uma lista em que compara o salário médio dos países e quanto tempo demora a comprar o smartphone de três câmaras fotográficas com esse valor.

Os novos iPhones foram divulgados esta semana no auditório da Apple. Apresentado como o smartphone mais barato à data da apresentação, o iPhone 11 foi anunciado por 699 dólares mas em Portugal vai estar à venda por 829 euros.

O preço do iPhone 11 Pro tem início nos 1.179 euros, para o modelo base de 64 GB. O site Picodi realizou uma comparação entre os preços deste modelo com o salário médio de vários países, de forma a calcular os dias de trabalho necessários para comprar o equipamento.

A comparação fixa-se nos salários médios dos países em análise. Em Portugal, o Instituto Nacional de Estatística revelou que o salário médio é de 911 euros, o que significa que um português teria de trabalhar 27,2 dias para poder adquirir a novidade de três câmaras da Apple. Segundo o Picodi, este valor representa menos 0,4 dias a menos, em comparação com o lançamento do ano passado.

Nos países que precisam de menos dias para adquirir o dispositivo tecnológico, a Suíça surge em primeiro lugar, com 4,8 dias de trabalho para comprar o mais recente iPhone. Os Estados Unidos aparece em segundo da lista e são precisos 5,8 dias para os norte-americanos adquirirem o aparelho. Luxemburgo é o terceiro país do ranking, sendo necessários 6,7 dias para a aquisição de um smartphone. 

Nos países que mais têm de trabalhar para comprar este dispositivo surge o México em primeiro lugar, com uma média de 54,2 dias. Em Montenegro, os cidadãos têm de trabalhar 48,5 dias para adquirir um iPhone 11 Pro, enquanto na Rússia são necessários 47 dias de trabalho.

Recomendadas

Deco: Cafés e restaurantes podem proibir clientes de ler ou estudar

Apesar da lei permitir a proibição de leitura ou o estudo no espaço do estabelecimento, há situações que são questionáveis e, sem dúvida alguma, há uma invasão dos direitos do consumidor. Portanto, se alguma vez sentir que estão a privar a sua liberdade individual reclame!

Vive em união de facto? Saiba quais são os seus direitos

Ouviu dizer que, hoje em dia, as uniões de facto produzem os mesmos direitos que os casamentos? Não é inteiramente verdade. Fique a par dos direitos dos unidos de facto.

Siga estas dicas para aumentar a vida da bateria dos seus equipamentos

Um uso intensivo, num ambiente quente, também não é recomendável, pois a bateria pode sobreaquecer e provocar uma descarga mais rápida ou até mesmo danificar o equipamento.
Comentários