Quatro mitos do investimento que é urgente desmistificar

Quando falamos em investimento, temos de pôr de parte as ideias pré-concebidas que podem fazer com que seja mais contido na hora de investir e dificultar o processo para atingir os seus objetivos financeiros.

Mito 1: Poupar é investir

Muitos acreditam que poupar é sinónimo de investir, mas não podiam estar mais errados. Apesar de o investimento depender muitas vezes da poupança, a verdade é que ambas as ações têm propósitos diferentes. Se tiver o seu dinheiro parado numa conta à ordem ou conta poupança, não está propriamente a investir. Investir pressupõe que utilize o seu dinheiro e o ponha a render com a compra de ativos, por exemplo.

Mito 2: Investir envolve demasiados riscos

No mundos dos investimentos, tem de ter em mente que quanto mais quiser ganhar, mais vai ter de arriscar potenciais perdas. A maior parte dos investidores quer fugir de todos os riscos e apostar em ativos mais seguros e que, aparentemente, garantam um “retorno certo”. Mas não espere ganhar muito sem assumir riscos. Adapte o seu investimento à sua tolerância ao risco, garantindo que nunca investe mais do que aquilo que realmente pode perder.

Mito 3: Investir implica muitos sacrifícios

Um dos mitos criados por muitos é que a poupança implica uma boa dose de sacrifício. No entanto, mais importante do que o montante que amealha é a disciplina com que poupa. Esforce-se por colocar de lado, todos os meses, uma parcela do seu rendimento com que se sinta confortável, menos que seja apenas 1%. O importante é que crie uma rotina. Ao fim de um tempo, a previsão é que isso se torne um hábito inconsciente e consiga poupar de forma automática.

Mito 4: Investir é só para ricos

O investimento que cada um faz varia consoante a sua condição financeira. Qualquer pessoa pode abrir conta num banco especializado em poupança e investimento, que lhe recomendará qual a melhor solução para cada caso. Tanto pode iniciar um investimento com apenas 100 euros como com 100.000 euros. A chave está em saber apostar num produto financeiro que lhe garanta uma vantagem segura.

Ler mais
Recomendadas

Alta Comissária da ONU chegou a Caracas para analisar crise política, económica e social

A Alta Comissária da ONU para os Direitos Humanos, Michelle Bachelet iniciou quarta-feira uma visita de três dias à Venezuela, país que enfrenta uma grave crise política, económica e social que forçou mais de 4 milhões de venezuelanos a emigrar.

Acionistas da Goggle pediram relatório de impacto nos direitos humanos no regresso do motor à China

Um grupo de acionistas do Alphabet, dona do Google, pediu que a empresa prepare um relatório sobre o impacto nos direitos humanos de um possível regresso do famoso motor de pesquisa à China, com uma versão censurada.

Os cinco problemas da economia angolana aos olhos do FMI

O Fundo Monetário Internacional aprovou a segunda tranche de financiamento para Angola no valor de 248,15 milhões de dólares, mas identificou cinco desafios que as autoridades angolanas devem fazer de tudo para ultrapassar, entre os quais a diversificação económica.
Comentários