Queda da inflação dá força à expetativa que BCE implemente estímulos já em setembro

Inflação na zona euro fixou-se em 1% em julho, caindo para mínimos de 2016. Inflação abaixo do expectável, levam a que as medidas de ‘Quantitative Easing’ possam mesmo avançar já em setembro, antecipa analista.

A expectativa de que o Banco Central Europeu (BCE) adopte estímulos económicos já na próxima reunião do Conselho de Governadores ganhou ainda mais força nos mercados financeiros, com a inflação da zona euro a fixar-se em 1% em julho, muito aquém da meta do BCE.

“A inflação mais fraca do que o estimado na zona euro dá força à probabilidade do BCE implementar estímulos económicos já em setembro. Com o abrandamento da economia e a inflação revista em baixa, Mario Draghi terá argumentos para avançar com estímulos adicionais à economia europeia”, destaca Nuno Caetano, analista da corretora Infinox.

O analista considera que além das tensões comerciais e do Brexit, a desaceleração económica e uma inflação abaixo do expectável, “levam a que as medidas de Quantitative Easing possam mesmo avançar já em setembro”.

A taxa de inflação anual na zona euro caiu 0,3 pontos percentuais (p.p.) em julho face ao mês anterior, caindo para mínimos de 2016, segundo dados divulgados pelo Eurostat esta terça-feira. Em novembro desse ano, fixou-se em 0,6%, subindo para 1,1% em dezembro. “Esta descida da inflação na zona euro poderá levar o BCE a não subir as taxas de juro tão cedo”, acrescenta Nuno Caetano.

A taxa de inflação anual da UE28 situou-se em 1,4% em julho de 2019, diminuindo 0,2 p.p. face ao valor de junho. Já a variação mensal foi de -0,5% e -0,3% na zona euro e na UE28. Entre os países da zona euro, Portugal foi o país com a taxa mais baixa e o único a registar uma inflação anual negativa em julho, registando -0,7%.

“A inflação [na zona euro] continua a fixar-se abaixo da meta do BCE. Já em março o BCE tinha revisto em baixa as projecções da inflação para 2019, reflectindo as perspectivas mais fracas em relação ao crescimento económico”, destaca Nuno Caetano.

Ler mais
Recomendadas

Movimento cívico alerta para consequências da exploração de lítio na Serra d’Arga

A ação, promovida pelo Movimento de Defesa do Ambiente e Património do Alto Minho, pretende sensibilizar para a “calamidade da exploração mineira massiva” na serra d’Arga e “parar” um projeto que “põe em causa 20%” daquele território.
greve_motoristas_materias_perigosas_camionistas_3

Fisco suaviza regras da tributação autónoma das ajudas de custo pagas por transportadoras

Numa informação vinculativa agora publicada, a Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) precisa que “sendo tais gastos [as ajudas de custo] efetivamente faturados aos clientes (ainda que por inclusão no montante total debitado) não ficam sujeitos à tributação autónoma”, prevista no Código do IRC.

Aluguer de quartos: preços médios sobem mas procura não se ressente

“Este estudo aponta uma tendência clara: apesar da notória subida do preço médio dos quartos para arrendar, a procura não parece ressentir-se. Antes pelo contrário”, sublinha Andreia Pacheco, brand manager do OLX Portugal.
Comentários