Queda da inflação dá força à expetativa que BCE implemente estímulos já em setembro

Inflação na zona euro fixou-se em 1% em julho, caindo para mínimos de 2016. Inflação abaixo do expectável, levam a que as medidas de ‘Quantitative Easing’ possam mesmo avançar já em setembro, antecipa analista.

A expectativa de que o Banco Central Europeu (BCE) adopte estímulos económicos já na próxima reunião do Conselho de Governadores ganhou ainda mais força nos mercados financeiros, com a inflação da zona euro a fixar-se em 1% em julho, muito aquém da meta do BCE.

“A inflação mais fraca do que o estimado na zona euro dá força à probabilidade do BCE implementar estímulos económicos já em setembro. Com o abrandamento da economia e a inflação revista em baixa, Mario Draghi terá argumentos para avançar com estímulos adicionais à economia europeia”, destaca Nuno Caetano, analista da corretora Infinox.

O analista considera que além das tensões comerciais e do Brexit, a desaceleração económica e uma inflação abaixo do expectável, “levam a que as medidas de Quantitative Easing possam mesmo avançar já em setembro”.

A taxa de inflação anual na zona euro caiu 0,3 pontos percentuais (p.p.) em julho face ao mês anterior, caindo para mínimos de 2016, segundo dados divulgados pelo Eurostat esta terça-feira. Em novembro desse ano, fixou-se em 0,6%, subindo para 1,1% em dezembro. “Esta descida da inflação na zona euro poderá levar o BCE a não subir as taxas de juro tão cedo”, acrescenta Nuno Caetano.

A taxa de inflação anual da UE28 situou-se em 1,4% em julho de 2019, diminuindo 0,2 p.p. face ao valor de junho. Já a variação mensal foi de -0,5% e -0,3% na zona euro e na UE28. Entre os países da zona euro, Portugal foi o país com a taxa mais baixa e o único a registar uma inflação anual negativa em julho, registando -0,7%.

“A inflação [na zona euro] continua a fixar-se abaixo da meta do BCE. Já em março o BCE tinha revisto em baixa as projecções da inflação para 2019, reflectindo as perspectivas mais fracas em relação ao crescimento económico”, destaca Nuno Caetano.

Ler mais

Recomendadas

Agência do Ambiente deverá dar hoje ‘luz verde’ ao aeroporto do Montijo

O Governo tem estado a apostar as fichas todas na viabilização ambiental deste projeto, mas não se sabe qual será o impacto das queixas já apresentadas na justiça portuguesa e comunitária para impedir o avanço deste empreendimento.

Emprego com remuneração insuficiente afeta quase 500 milhões de pessoas

Quase 500 milhões de pessoas no mundo trabalham menos horas pagas do que gostariam ou não têm acesso a um emprego suficientemente remunerado, de acordo com um relatório da Organização Internacional do Trabalho (OIT) divulgado hoje.

José Eduardo dos Santos cancela entrevista à Lusa

José Eduardo dos Santos tinha uma entrevista marcada com a Agência Lusa, mas acabou por cancelá-la. O ex-presidente de Angola explicou que deixou de haver condições para realizar a dita entrevista.
Comentários