Queda de avião da Ethiopian Airlines sem sobreviventes

A bordo do Boeing 737-8 MAX estavam pessoas de 33 nacionalidades.

Nenhuma das 157 pessoas que estavam a bordo do avião da Ethiopian Airlines que hoje se despenhou pouco depois de descolar de Adis Abeba, Etiópia, terá sobrevivido, admitiu um porta-voz da companhia aérea à emissora estatal etíope EBC.

O mesmo porta-voz acrescentou que a bordo do Boeing 737-8 MAX estavam pessoas de 33 nacionalidades.

A bordo do aparelho estavam 149 passageiros e oito tripulantes.

De acordo com as informações iniciais avançadas pela imprensa internacional, o acidente com o avião Boeing 737-8 MAX – que realizava um voo regular entre Adis Abeba e Nairobi (Quénia) – terá ocorrido às 08:44 (horas locais) no domingo, cerca de seis minutos após a descolagem na capital da Etiópia.

As causas do acidente ainda não são conhecidas.

O primeiro-ministro da Etiópia, Abiy Ahmed, já manifestou na sua conta oficial na rede social Twitter “profundas condolências” às famílias das vítimas.

A Ethiopian Airlines é membro da Star Alliance (a mesma que integra a transportadora portuguesa TAP) desde dezembro de 2011 e, de acordo, com o ‘site’ da aliança, trata-se da companhia de bandeira da Etiópia e líder em África.

A Ethiopian Airlines foi fundada em 21 de dezembro de 1945 e a sua rede abrange Europa, América do Norte, América do Sul, África, Médio Oriente e Ásia, ligando as cidades em todo o mundo.

Ler mais
Relacionadas

Avião cai na Etiópia com 157 pessoas a bordo. Não há sobreviventes

O avião, um Boeing 737, despenhou-se pouco depois de descolar da capital Adis Adeba este domingo de manhã.
Recomendadas

Itália abre fronteiras mas exclui países que impõem restrições a italianos

Os passageiros serão testados à chegada e, se mostrarem resultados negativos para a infeção, ficarão em quarentena por sete dias. Se o teste der positivo, ou seja, se mostrarem que os viajantes estão infetados com covid-19, a quarentena será de 14 dias.

“Decepcionante e inexplicável”. OMS reage ao fim da cooperação com os EUA

EUA pagam entre 364 e 455 milhões de euros por ano à OMS, um valor que é muito superior aos 36 milhões de euros da China, conforme tem apontado Donald Trump.

Covid-19: Alemanha regista quase 182 mil casos e 8.511 mortes

A Alemanha contabiliza até hoje 181.815 casos de covid-19, um aumento de 333 em relação ao dia anterior, e 8.511 vítimas mortais, uma subida de 11 nas últimas 24 horas.
Comentários