Queda de avião da Ethiopian Airlines sem sobreviventes

A bordo do Boeing 737-8 MAX estavam pessoas de 33 nacionalidades.

Nenhuma das 157 pessoas que estavam a bordo do avião da Ethiopian Airlines que hoje se despenhou pouco depois de descolar de Adis Abeba, Etiópia, terá sobrevivido, admitiu um porta-voz da companhia aérea à emissora estatal etíope EBC.

O mesmo porta-voz acrescentou que a bordo do Boeing 737-8 MAX estavam pessoas de 33 nacionalidades.

A bordo do aparelho estavam 149 passageiros e oito tripulantes.

De acordo com as informações iniciais avançadas pela imprensa internacional, o acidente com o avião Boeing 737-8 MAX – que realizava um voo regular entre Adis Abeba e Nairobi (Quénia) – terá ocorrido às 08:44 (horas locais) no domingo, cerca de seis minutos após a descolagem na capital da Etiópia.

As causas do acidente ainda não são conhecidas.

O primeiro-ministro da Etiópia, Abiy Ahmed, já manifestou na sua conta oficial na rede social Twitter “profundas condolências” às famílias das vítimas.

A Ethiopian Airlines é membro da Star Alliance (a mesma que integra a transportadora portuguesa TAP) desde dezembro de 2011 e, de acordo, com o ‘site’ da aliança, trata-se da companhia de bandeira da Etiópia e líder em África.

A Ethiopian Airlines foi fundada em 21 de dezembro de 1945 e a sua rede abrange Europa, América do Norte, América do Sul, África, Médio Oriente e Ásia, ligando as cidades em todo o mundo.

Ler mais
Relacionadas

Avião cai na Etiópia com 157 pessoas a bordo. Não há sobreviventes

O avião, um Boeing 737, despenhou-se pouco depois de descolar da capital Adis Adeba este domingo de manhã.
Recomendadas

PremiumCarrie Symonds: a primeira namorada da política britânica

Filha de um dos fundadores do jornal britânico “The Independent” e de uma advogada do mesmo órgão de comunicação, Carrie, de 31 anos, recebeu uma educação privilegiada. Começou a trabalhar no Partido Conservador como assessora de imprensa, participou na candidatura de Boris Johnson a mayor de Londres e trabalha atualmente no Vibrant Oceans, um programa ambiental da Bloomberg Philantropies. É a “primeira namorada” a chegar a Downing Street.

EUA: confiança dos consumidores arrefece face a possível recessão económica

Face aos cortes nas taxas de juro da Fed, os consumidores norte-americanos receiam uma possível recessão económica. Previsões dos economistas ficaram aquém dos resultados do relatório da Universidade de Michigan.

Novas tarifas de Trump terão impacto de 1% no comércio internacional em 2020

A AP Moller-Maersk, empresa que realiza cerca de 20% do comércio marítimo mundial, estima que as tarifas já impostas pelos Estados Unidos tenham minado o comércio mundial em 0,5% este ano, e antecipa que o cenário piore em 2020.
Comentários