Queda para 6% no volume de negócios nos serviços

Os índices de emprego, de remunerações brutas e de horas trabalhadas ajustado de efeitos de calendário, foram os que apresentaram variações mais homólogas.

O índice de volume de negócios nos serviços desacelarou para 5,7% em agosto, um resultado inferior em 0,6 pontos percentuais comparativamente ao observado no mês anterior, anunciou o Instituto Nacional de Estatísticas (INE), esta quinta-feira.

O abrandamento do índice foi particularmente influenciado pela secção de comércio, reparação de veículos automóveis e motociclos, que passou de um crescimento de 7,9% em julho para 6,7% em agosto, segundo o relatório.

A secção de alojamento, restauração e similares apresentou o segundo contributo mais elevado, cerca de 0,6%, derivado
de um aumento de 6,4%, comparativamente aos 5,8% de julho.

A secção de transportes e armazenagem registou a desaceleração mais intensa, 2,6%, fixando-se a taxa de variação homóloga em 2,4% em agosto.

Os índices de emprego, de remunerações brutas e de horas trabalhadas ajustado de efeitos de calendário, apresentaram variações homólogas de 1,5%, 3,4% e 0,7%, respetivamente, face a 1,8%, 6,0% e 1,7% em julho, pela mesma ordem.

Recomendadas

Itália aguarda decisão da União Europeia sobre o seu projeto de orçamento na próxima terça-feira

O governo italiano espera que a Comissão Europeia tome uma decisão sem precedentes de pedir a um Estado-membro que emendará e reapresentará o seu projeto de orçamento, referiu uma fonte do governo este domingo, 21 de outubro.

Brasil e Chile devem assinar acordo de comércio livre até ao final deste ano

Acordo foi alcançado na última sexta-feira, 19 de outubro e deste acordo fazem parte a não cobrança de taxas de roaming internacional para chamadas e dados móveis nos países do outro país.

Secretário do Tesouro dos EUA descarta risco de contágio de desaceleração económica da China

Steven Mnuchin, relativizou as preocupações de que o crescimento económico mais fraco da China desde a crise financeira global poderia estender-se para outros mercados emergentes e desestabilizar os mercados financeiros dos EUA.
Comentários