Queda para 6% no volume de negócios nos serviços

Os índices de emprego, de remunerações brutas e de horas trabalhadas ajustado de efeitos de calendário, foram os que apresentaram variações mais homólogas.

O índice de volume de negócios nos serviços desacelarou para 5,7% em agosto, um resultado inferior em 0,6 pontos percentuais comparativamente ao observado no mês anterior, anunciou o Instituto Nacional de Estatísticas (INE), esta quinta-feira.

O abrandamento do índice foi particularmente influenciado pela secção de comércio, reparação de veículos automóveis e motociclos, que passou de um crescimento de 7,9% em julho para 6,7% em agosto, segundo o relatório.

A secção de alojamento, restauração e similares apresentou o segundo contributo mais elevado, cerca de 0,6%, derivado
de um aumento de 6,4%, comparativamente aos 5,8% de julho.

A secção de transportes e armazenagem registou a desaceleração mais intensa, 2,6%, fixando-se a taxa de variação homóloga em 2,4% em agosto.

Os índices de emprego, de remunerações brutas e de horas trabalhadas ajustado de efeitos de calendário, apresentaram variações homólogas de 1,5%, 3,4% e 0,7%, respetivamente, face a 1,8%, 6,0% e 1,7% em julho, pela mesma ordem.

Recomendadas

Negócios com Islândia, Noruega e Liechtenstein têm fundos de mais dois milhões

A economia do mar, a mobilidade e a saúde mental são algumas das áreas que poderão ser financiadas pelo Fundo de Relações Bilaterais.

Consumidores nacionais preferem vinho tinto, em casa, com familiares e amigos

Segundo o estudo da consultora Levelsource, o local preferido de compra de vinhos varia entre os hipermercados e supermercados (47%), as lojas de vinhos (28%), compra direta aos produtores (15%), ‘sites’ e mercearias (comércio tradicional), por exemplo (10%).

Pesca em 2019 na União Europeia discutida terça-feira

A proposta avançada pela Comissão Europeia prevê a redução dos totais admissíveis de capturas em 22 unidades populacionais, incluindo a pescada em águas continentais e dos arquipélagos, a arinca e o lagostim.
Comentários