Queixas contra a Endesa junto do regulador disparam 45%. Grupo EDP com subida de 13%

Por sua vez, a Iberdrola e a Galp registaram recuos no números de queixas durante o segundo trimestre.

António Cotrim/Lusa

As queixas contra o grupo EDP por parte de consumidores junto do regulador aumentaram em 13,4% no segundo trimestre.

Segundo os dados divulgados na segunda-feira pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE), quatro empresas do grupo EDP receberam um total de 3.620 queixas no segundo trimestre deste ano face às 3.191 recebidas em período homólogo.

A EDP Comercial, fornecedora do mercado liberalizado lidera no número de queixas, tendo recebido um total de 2.491 queixas (mais 36,7%), seguida da EDP Distribuição com 842 (-20,5%), SU Eletricidade (antiga EDP Serviço Universal) com 237 (+16,8%), e da EDP Gás Serviço Universal com 50 (+108%).

Já a Endesa teve um aumento de 45% no número de reclamações para um total de 868.

Por sua vez, a Iberdrola registou um recuo de 2,5% nas queixas para um total de 193.

A Galp, por seu turno, obteve um recuo de 13,7% nas reclamações para 344.

Olhando para todo o setor energético, a ERSE recebeu um total de 5.437 reclamações no segundo trimestre, mais 5,6% face a período homólogo. Ao mesmo tempo, durante este período, a ERSE concluiu 5.219 processos.

Entre os diversos setores energéticos, o setor elétrico continua a ser o setor com mais reclamações: 3.747 (mais 11,3% face a período homólogo) do total de 5.437 reclamações recebidas pela ERSE.

De que se queixam mais os consumidores? “A faturação e o contrato de fornecimento, assim como as questões relativas à qualidade de serviço comercial (por ex. atendimento, resposta a reclamações, visitas combinadas) mantêm-se como os temas mais reclamados pelos consumidores de eletricidade e do fornecimento dual (eletricidade e gás natural). Também no setor do GN, mantém-se a maior incidência nos temas da faturação, seguindo-se os da contratação”.

No setor elétrico, o tema da faturação lidera com 1.484 reclamações, seguida da contratação (816) e da qualidade do serviço comercial (313). No gás natural, os temas da faturação (160), contratação (95) e interrupção no fornecimento (26) são os temas com mais reclamações. Já no setor dual (eletricidade mais gás natural), o ranking de reclamações é liderado pela faturação (529), contratação (274) e qualidade do serviço comercial (142).

Recomendadas

Rendibilidade das empresas sobe no segundo trimestre, mas continua aquém dos níveis pré-pandemia

Por sector de atividade, a rendibilidade do ativo (rácio entre os resultados antes de amortizações, depreciações, juros e impostos das empresas -EBITDA- e o total de ativo) das empresas privadas aumentou nas indústrias (de 8,6% para 10,7%), comércio (de 6,6% para 7,4%), transportes e armazenagem (de 6,8% para 8,0%), outros serviços (de 4,8% para 5,4%) e sedes sociais (de 4,7% para 4,8%).

Regulador aprova venda do controle dos ativos de fibra ótica da Oi no Brasil

A operadora de telecomunicações brasileira Oi já tinha anunciado o acordo de venda de parte dos ativos de fibra ótica da InfraCo à Globenet e BTG.

Pfizer e Moderna vão continuar a dominar mercado das vacinas anti-Covid em 2022

Segundo os cálculos da Airfinity, as duas fabricantes de vacinas mRNA irão dominar três quartos do mercado vacinal em 2022, alargando a margem entre as rivais AstraZeneca, Johnson & Johnson, a vacina russa Sputnik V.
Comentários