Quem é o trabalhador português? Dados ajudam a perceber o perfil

A maioria dos trabalhadores em Portugal tem entre 25 e 44 anos, trabalha por conta de outrem, a tempo inteiro, no setor terciário e tem o ensino básico, refere um perfil hoje divulgado pela Pordata.

No âmbito do Dia do Trabalhador, a base de dados da Fundação Francisco Manuel dos Santos reuniu informação sobre a população empregada em Portugal e traçou um perfil do trabalhador em Portugal.

De acordo com um comunicado da Pordata, das 4,87 milhões pessoas empregadas em Portugal, 46% tem entre 25 e 44 anos, 26% tem entre 45 e 54 anos, 17% tem entre 55 e 64 anos e 5% tem mais de 65 anos.

Do total de empregados, 89% trabalha a tempo inteiro e 11% trabalha a tempo parcial, 83% trabalha por conta de outrem, 69% trabalha no setor terciário e 6% no setor primário.

Em termos de habilitações escolares, 1% dos empregados não tem escolaridade, 45% tem o ensino básico, 27% o ensino secundário e 27% tem o ensino superior.

Dos total de trabalhadores, 14% trabalha na função pública, maioritariamente na administração central.

Segundo os dados compilados pela Pordata, o universo de trabalhadores divide-se entre 2,49 milhões de homens (51%) e 2,38 milhões de mulheres (49%).

Do total de mulheres empregadas, 1.921,5 mil estão no setor terciário, 365,7 mil estão no secundário e 93,6 mil estão no setor primário.

Do total de homens empregados, 1.441,9 mil estão no setor terciário, 843,5 mil estão no secundário e 200,5 mil estão no primário.

Em relação aos salários, 21,6% dos trabalhadores por conta de outrém recebiam em 2017 o salário mínimo nacional. No mesmo ano, a remuneração base média era de 943 euros e o ganho médio – a que acrescem subsídios – era de 1.133,3 euros.

A Pordata lembra ainda a existência de 365,9 mil pessoas no desemprego, 49% das quais estão desempregados há menos de 12 meses e 35% estão desempregados há 25 ou mais meses.

Do total de desempregados, 62% têm entre 25 e 54 anos, 16% entre 55 e 64 anos e 1% tem mais de 65 anos.

Os dados reunidos pela Pordata são do Instituto Nacional de Estatística e da Direção-Geral da Administração e do Emprego Público e relativos a 2018, à exceção dos dos salários, que são do ano anterior.

Ler mais
Relacionadas

Os melhores países da Europa para trabalhar (e ganhar muito dinheiro)

Se por acaso coloca a hipótese de emigrar, a fim de trabalhar e amealhar dinheiro e, quiçá, regressar a Portugal com uma saúde financeira mais estável – ou simplesmente quer ter a experiência de trabalhar fora de Portugal, na sua área – descubra cinco países da Europa com boas condições para tal.

Conhece os seus direitos enquanto trabalhador? Faça aqui o teste

Pode uma empresa alterar unilateralmente os horários de trabalho? O trabalhador é obrigado a prestar trabalho suplementar que o empregador lhe exija? Descubra aqui 18 direitos imprescindíveis, segundo o Departamento de Laboral da sociedade de advogados CCA.
Recomendadas

Siga estas dicas para aumentar a vida da bateria dos seus equipamentos

Um uso intensivo, num ambiente quente, também não é recomendável, pois a bateria pode sobreaquecer e provocar uma descarga mais rápida ou até mesmo danificar o equipamento.

Vai à Web Summit? Pode deixar moedas e notas em casa

A SIBS e a empresa-mãe da Web Summit renovaram a parceria pelo terceiro ano consecutivo.

Taxas Euribor caem a três e seis meses e sobem a 12 meses

A taxa Euribor a seis meses, a mais utilizada em Portugal nos créditos à habitação, desceu hoje para -0,365%. A Euribor a três meses também caiu, ao ser fixada em -0,398%.
Comentários