Quer trabalhar cinco horas por dia? Então fique longe do telemóvel, diz empresa alemã

Uma empresa na Alemanha está a deixar os funcionários trabalhar apenar cinco horas por dia, desde que eles não se importem de deixar os telemóveis longe da secretária.

O repórter Eric Morath, do Wall Street Journal, noticiou recentemente o caso da Rheingans Digital Enabler, uma empresa de consultoria com sede em Bielefeld, na Alemanha, que opera apenas cinco horas por dia. Lasse Rheingans, diretor da empresa, disse à publicação que implementou um dia de trabalho mais curto para permitir aos funcionários ter mais tempo com os seus filhos.

Mas para garantir que sua empresa possa ter a mesma eficiência num período de tempo menor, Rheingans pediu aos colaboradores para deixarem os telemóveis longe da secretária. Além disso, os trabalhadores só verificam os e-mails da empresa duas vezes por dia e as reuniões geralmente de 15 minutos ou até mais curtas.

Um estudo de 2017 da Universidade do Texas-Austin descobriu que se colocarem um iPhone numa sala de trabalho  (mesmo que desligado), a produtividade de quem estiver presente diminui. O mesmo estudo acrescenta ainda que a criação de mais oportunidades para o equilíbrio entre a vida profissional e a vida privada também pode ajudar a resolver a questão do ‘burnout’ dos funcionários.

Recomendadas

Lloyd’s com lucros de 783 milhões de euros até setembro. Caem 64% num ano

No acumulado dos nove meses, o banco liderado por António Horta Osório registou lucros de 707 milhões de libras (783 milhões de euros) o que traduz uma queda de 64% face aos nove meses de 2019. Imparidades de 4,119 mil milhões de libras justificam a queda dos resultados líquidos. Mas no terceiro trimestre o banco regressou aos lucros.

Cobertura dos media portugueses à Fórmula 1 gerou 13,1 milhões de euros em três dias

Estima-se que a realização do Grande Prémio de Portugal, em Portimão, gerou um impacto financeiro entre 40 a 50 milhões de euros. No que respeita à cobertura dos media portugueses, só as televisões geraram 10,9 milhões de euros, segundo uma análise da Marktest.

NH quer vender portefólio de hotéis em Portugal, Holanda e Alemanha por 200 milhões

Os potenciais compradores incluem fundos de investimento que já ocupam posições de destaque na hotelaria na Europa. Em Portugal, o grupo NH possui 17 unidades hoteleiras divididas pelo Algarve, Lisboa, Porto, Coimbra, Évora e Sintra.
Comentários