Quer trabalhar cinco horas por dia? Então fique longe do telemóvel, diz empresa alemã

Uma empresa na Alemanha está a deixar os funcionários trabalhar apenar cinco horas por dia, desde que eles não se importem de deixar os telemóveis longe da secretária.

O repórter Eric Morath, do Wall Street Journal, noticiou recentemente o caso da Rheingans Digital Enabler, uma empresa de consultoria com sede em Bielefeld, na Alemanha, que opera apenas cinco horas por dia. Lasse Rheingans, diretor da empresa, disse à publicação que implementou um dia de trabalho mais curto para permitir aos funcionários ter mais tempo com os seus filhos.

Mas para garantir que sua empresa possa ter a mesma eficiência num período de tempo menor, Rheingans pediu aos colaboradores para deixarem os telemóveis longe da secretária. Além disso, os trabalhadores só verificam os e-mails da empresa duas vezes por dia e as reuniões geralmente de 15 minutos ou até mais curtas.

Um estudo de 2017 da Universidade do Texas-Austin descobriu que se colocarem um iPhone numa sala de trabalho  (mesmo que desligado), a produtividade de quem estiver presente diminui. O mesmo estudo acrescenta ainda que a criação de mais oportunidades para o equilíbrio entre a vida profissional e a vida privada também pode ajudar a resolver a questão do ‘burnout’ dos funcionários.

Recomendadas

Governo garante verbas de apoio aos transportes coletivos da Área Metropolitana do Porto

Apesar de o prazo para apresentação dos relatórios relativos ao segundo trimestre de 2021 ter terminado a 31 de julho, O Ministério do Ambiente garante que as Áreas Metropolitanas e Comunidades Intermunicipais que pretendam proceder à retificação ou alteração dos pedidos já formulados poderão ainda fazê-lo até ao dia 15 de agosto.

SATA é a única concorrente à concessão das rotas interilhas nos Açores

Caberá ao júri analisar a proposta apresentada pela SATA e submeter ao secretário Regional dos Transportes, Turismo e Energia, Mário Mota Borges, um “relatório fundamentado para efeitos de adjudicação”.

Groundforce diz que TAP lhe deve 2,5 milhões por voos noturnos. Companhia aérea discorda

Entre julho de 2017 e dezembro de 2018, a empresa diz ter faturado à TAP o valor total de 1.446.706,29 euros, pelas assistências de voos que não estavam previstos em horário de ‘night curfew’ e que acabaram por ser assistidos naquele período.
Comentários