Ramada dispara lucros semestrais para 6,2 milhões de euros

O resultado líquido consolidado registado no primeiro semestre de 2021 no valor de 6,17 milhões, apresentou um crescimento de 143,2% face ao resultado líquido do período homólogo do ano anterior.

A cotada Ramada Investimentos e Indústria registou no primeiro semestre deste ano um resultado líquido de cerca de 6,2 milhões, o que traduz um crescimento de 143,2% face ao resultado líquido do período homólogo do ano anterior.

A empresa que integra o PSI-20 reportou receitas totais no primeiro semestre de 2021 de 66,4 milhões de euros, apresentando um crescimento de 35,0% face às receitas totais registadas em igual período de 2020.

Os custos totais ascenderam a 56.5 milhões de euros, registando um crescimento de 28,3% face ao ano anterior.

Por sua vez o EBITDA atingiu o montante de 9,834 milhões, superior em 92,6% ao registado no primeiro semestre de 2020. A empresa revelou que a margem EBITDA ascendeu a 14,8% apresentando um crescimento de 4,4 pontos percentuais face ao ano anterior.

No primeiro semestre de 2021 as receitas totais do segmento Indústria ascenderam a 62,7 milhões registando um crescimento de 37,8% face às receitas totais do período homólogo.

As ações da Ramada fecharam a disparar 3,45% para 6 euros.

Recomendadas

Costa criticado à esquerda e à direita por declarações sobre a Galp

Os vários partidos políticos deixaram críticas sobre o ataque de António Costa à Galp pelo encerramento da refinaria de Matosinhos. Se à esquerda foi criticado pelas declarações que consideram ser tardias, à direita apontaram que em maio teve declarações contraditórias.

Evergrande chega a acordo para evitar incumprimento de uma das suas dívidas

O gigante imobiliário chinês Evergrande disse esta quarta-feira ter chegado a um acordo com os detentores de obrigações para evitar o incumprimento de uma das suas dívida.

Endividamento das empresas privadas em máximos de 2014 (com áudio)

Desde março de 2014 que o endividamento das empresas privadas não atingia um valor tão elevado. No final de julho, as empresas do comércio e das indústrias eram as que mais contribuíam para este endividamento.
Comentários