Reabilitação urbana em Portugal mantém indicadores positivos, mas nível de atividade caiu 1,8% em março

No final do mês de março de 2021, a produção contratada neste segmento da construção civil e obras públicas aumentou para 9,2 meses, cerca de nove meses e uma semana.  

Até ao final do passado mês de março, verificou-se uma evolução positiva dos índices de reabilitação urbana em Portugal, segundo o barómetro elaborado pela AICCOPN – Associação dos Industriais de Construção e Obras Públicas.

No entanto, de acordo com esse documento, o nível de atividade no sector caiu 1,8% face ao período homólogo.

Como sinal positivo, referência para a produção contratada, que, neste segmento, aumentou para 9,2 meses (cerca de nove meses e uma semana).

“De acordo com os dados obtidos no inquérito à reabilitação urbana, referente ao mês de março de 2021, realizado pela AICCOPN junto dos empresários, observa-se, no final deste primeiro trimestre do ano, uma evolução globalmente positiva da opinião dos empresários relativamente às perspetivas para a evolução deste mercado”, sublinha um comunicado da associação dos empresários do sector nacional da construção, adiantando que “(…) o índice que mede a opinião dos empresários relativamente ao volume da carteira de encomendas apresenta, em março, um aumento de 1% em termos homólogos, o que representa uma quebra do ciclo de variações negativas neste indicador”.

Os responsáveis da AICCOPN adiantam que, “no que concerne ao índice que mede a evolução do nível de atividade verifica-se uma redução de 1,8% em termos homólogos, significativamente melhor que os valores registados nos últimos meses”.

“Quanto ao número de meses de produção contratada, ou seja, o tempo assegurado de laboração a um ritmo normal de produção, que tem vindo a consistentemente recuperar desde dezembro, regista-se um crescimento para 9,2 meses, o que traduz um aumento de 8,2% face ao mês anterior”, conclui o comunicado da AICCOPN.

Recomendadas

Grupo UHUB adjudica residência universitária do Lumiar à Gabriel Couto

Mercado das residências universitárias está a aumentar. O grupo – em que pontifica Jaime Antunes, Hugo Gonçalves Pereira e a gestora de ativos Atrium – inaugurou no ano passado uma infraestrutura semelhante junto ao polo universitário da Asprela, no Porto.

Pedro Teixeira Duarte renuncia ao cargo de presidente do grupo Teixeira Duarte

“Esta decisão pessoal foi tomada depois de mais de 40 anos de trabalho, contribuindo para uma empresa melhor, um grupo familiar melhor, um mundo melhor”, diz a empresa.

Mota-Engil encaixa cerca de 104 milhões de euros com aumento de capital

O aumento de capital de 100 milhões de euros, reservado a acionistas, foi feito para acomodar o reforço da posição da gigante estatal chinesa, a China Communications Construction Company (CCCC), no grupo português.
Comentários