Reabilitação urbana registou nova queda em junho, de 11,3%

Quanto ao tempo assegurado de laboração a um ritmo normal de produção, em junho, apurou-se um aumento para 8,7 meses, recuperando da quebra abruta registada em março.

Em junho atendendo à informação obtida no inquérito mensal à reabilitação urbana realizado pela AICCOPN – Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas aos empresários do setor que atuam neste segmento de mercado, “observa-se uma nova redução dos principais indicadores qualitativos”.

“O nível de atividade das empresas contraiu-se 11,3% em termos homólogos e 1,2% face ao mês anterior, variação que traduz o sentimento dos empresários e as dificuldades imediatas que a pandemia coloca sobre a cadeia produtiva do setor”, adianta um comunicado da AICCOPN.

O mesmo documento acrescenta que, “quanto ao índice ‘carteira de encomendas’, apurou-se igualmente uma redução do indicador que mede a opinião dos empresários quanto ao volume de obras em carteira, registando-se uma variação de -5,3% em termos homólogos e de -3,3% face ao mês anterior”.

“No que concerne à produção contratada, ou seja o tempo assegurado de laboração a um ritmo normal de produção, em junho, apurou-se um aumento para 8,7 meses, recuperando da quebra abruta registada em março”, conclui o referido comunicado

Recomendadas

Mota-Engil posiciona-se entre as 30 maiores construtoras com origens europeias

Nesta tabela elaborada pela consultora Deloitte, a Mota-Engil posiciona-se como a 76ª maior construtora mundial cotada em bolsa de acordo com o volume de negócios obtido em 2019.

Número de fogos licenciados no Alentejo cresceu 3,7% nos últimos doze meses

Sintese de conjuntura do setor da con strução elaborada pela AICCOPN revela que o consumo de cimento em Portugal subiu, em temros homólogos, 6,4% nos primeiros cinco meses deste ano.

Ferrovial ganha as duas empreitadas de expansão do Metro do Porto. Valor ascende a 288 milhões

O valor global destas adjudicações ascende a 288 milhões de euros – 189 milhões relativos ao novo traçado no Porto e 98,9 milhões para a ampliação em Gaia, assinala o comunicado da Metro do Porto.
Comentários