Receita fiscal aumenta 215,8 milhões até agosto, diz DGO

“No que diz respeito à receita fiscal líquida do subsetor Estado acumulada até agosto de 2021, registou-se um crescimento de 215,8 milhões de euros (+0,8%), face ao primeiro período homólogo”, refere a Direção-Geral do Orçamento (DGO).

A receita fiscal do Estado aumentou em 215,8 milhões de euros até agosto, face a igual período do ano passado, para 27.223,8 milhões de euros, segundo a síntese da execução orçamental divulgada hoje pela DGO.

“No que diz respeito à receita fiscal líquida do subsetor Estado acumulada até agosto de 2021, registou-se um crescimento de 215,8 milhões de euros (+0,8%), face ao primeiro período homólogo”, refere a Direção-Geral do Orçamento (DGO).

A subida homóloga da receita fiscal observada até agosto assenta sobretudo na evolução dos impostos diretos, designadamente do IRS e do IRC.

“Quanto aos impostos diretos, a evolução positiva de 377,3 milhões de euros (+3,3%) foi justificada pela combinação da evolução positiva do IRS em 781 milhões de euros – justificada pelo resultado positivo da Campanha de IRS e pela reduzida taxa de desemprego – com a queda da receita do IRC em 342,9 milhões de euros (-12,1%), em resultado da queda da receita associada à Campanha de IRC deste ano”, pode ler-se no documento.

Recomendadas

Consumo de combustíveis volta recuperar em setembro e cresce 10,46%, segundo a ENSE

O consumo de combustíveis aumentou 10,46% em setembro, num “contexto de progressiva normalização” do país e da economia, adiantou hoje, segunda-feira, a Entidade Nacional para o Setor Energético (ENSE), em comunicado.

Empresas vão receber mais de 12 mil milhões de euros do PRR e do Portugal 2030

As verbas acumuladas dos dois programas perfazem um acréscimo de 75% face ao que as empresas receberam no Portugal 2020, realçou ainda Nelson de Souza, esclarecendo que, nos próximos quadros de financiamento, vai “haver muito mais incentivos às empresas para a área das alterações climáticas”.

OE2022. Prazo para comunicação de faturas passa para dia 5 do mês seguinte ao da emissão

O prazo para as empresas remeterem à Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) as faturas vai passar do dia 12 para o dia 5 do mês seguinte ao da emissão, segundo a proposta do Orçamento do Estado para 2022 (OE2022).
Comentários