Reclamações ao regulador da energia aumentam 61% para 8.758 no segundo trimestre

No segundo trimestre de 2021, a ERSE recebeu 8.758 reclamações, das quais 1.113 são reaberturas em que o reclamante apresentou novos dados, após o encerramento do processo. Registou-se, assim, um aumento de 61% face ao período homólogo.

A Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) recebeu 8.758 reclamações no segundo trimestre do ano, o que representa um aumento de 61% face às 5.437 reclamações recebidas no mesmo período do ano passado, foi hoje divulgado.

“No segundo trimestre de 2021, a ERSE recebeu 8.758 reclamações, das quais 1.113 são reaberturas em que o reclamante apresentou novos dados, após o encerramento do processo. Registou-se, assim, um aumento de 61% face às 5.437 reclamações registadas no segundo trimestre de 2020, mas uma descida de 15% relativamente às 10.317 reclamações recebidas no primeiro trimestre de 2021”, revelou o Boletim do Apoio ao Consumidor de Energia relativo aos meses de abril, maio e junho.

Já quanto aos pedidos de informação recebidos pelo regulador, o número diminuiu cerca de 4% no período em análise, em termos homólogos, passando de 565 para 538, registando-se, também, uma diminuição de 27% face ao primeiro trimestre deste ano.

O setor elétrico continua a ser o mais reclamado, com valores superiores ao trimestre homólogo de 2020, passando de 3.747 reclamações para 6.647.

O fornecimento “dual” (eletricidade e gás no mesmo contrato), o setor do gás natural e o setor de “outros temas” (maioritariamente referente a combustíveis líquidos) acompanham a tendência de subida no número de reclamações. Apenas o gás de petróleo liquefeito (GPL) canalizado apresentou uma descida do número de reclamações, de 72 para 67.

Os temas mais reclamados pelos consumidores de eletricidade, detalhou a ERSE, são a faturação, o contrato de fornecimento e as questões relativas à qualidade de serviço comercial.

O regulador concluiu, durante o segundo trimestre, 8.243 processos de reclamações, 5.193 dos quais tiveram origem nos livros de reclamações (físico e eletrónico).

Recomendadas

Famílias com maiores rendimentos são as que mais aderem à economia circular

As margens orçamentais das famílias com maiores rendimentos permitem que seja possível incorporar uma economia circular nos consumos diários. Em contrapartida, os casais reformados e seniores solitários são os que se encontram mais distantes deste objetivo.

Vivenda com piscina ou ‘penthouse’. Quase oito em cada dez pessoas vão ao Idealista sonhar com casas de luxo

Segundo o portal de imobiliário, as mulheres são as que mais procuram por casas de luxo por entretenimento (52% dos inquiridos) em comparação aos homens (47%).

Automóveis elétricos poupam 30 a 40 euros face a carros a gasolina na mesma distância

A Selectra analisou o Tesla Model 3 e o Nissan Leaf e+, dois veículos elétricos mais comercializados em Portugal, percebendo o seu nível de poupança em comparação com um automóvel a gasolina. Foi analisado o gasto de combustível, a mesma distância percorrida e o custo do carregamento.
Comentários