Rede europeia e indiana de incubadoras conta com participação de Portugal

O Instituto Pedro Nunes foi convidado por Bruxelas a participar no grupo fundador da EU-India Incubators and Accelerators Network.

O Instituto Pedro Nunes (IPN) é uma das 10 incubadoras europeias convidadas pela Direção-Geral da Investigação e da Inovação da Comissão Europeia para participar no grupo fundador da EU-India Incubators and Accelerators Network, uma rede de incubadoras de alto desempenho, com representantes de várias regiões da Europa e da Índia.

O diretor-executivo de Incubação e Aceleração do IPN, Paulo Santos, participou no lançamento desta iniciativa nos passados dias 8 e 9 de outubro, em Bangalore, na Índia.

Nesse evento as incubadoras europeias e indianas tiveram a oportunidade de criar vínculos, trocar ideias e trabalhar num plano de ação para se envolverem em atividades de cooperação e inovação.UNES

Empresas como a Critical Software, a WIT Software, a Crioestaminal, a Active Space Technologies, a Take the Wind ou a Feedzai já passaram pela incubadora do IPN.

Recomendadas

Swonkie, a plataforma de redes sociais que nasceu das apostas de futebol

Do Shark Tank Portugal para a América Latina, o Swonkie é uma plataforma de redes sociais portuguesa. “Vendemos tempo, conhecimento e poder de decisão aos players das redes sociais”, disse o cofundador, João Cortinhas.

Fundo Azul aprova projetos de 1,9 milhões de euros

O Fundo Azul aprovou 1,9 milhões de euros a distribuir por cinco projetos selecionados na tipologia de desenvolvimento da economia do mar, “com o objetivo de estimular a emergência de uma nova geração de empreendedores do mar (‘start-ups’, PME e empresas) criadora de oportunidades inovadoras de negócio, rentáveis e sustentáveis”.

“Ser solidário tem outro sabor”. Pingo Doce testa negócio social num dos maiores supermercados

O novo projeto de empreendedorismo social da Jerónimo Martins contempla as instituições Casa de Santo António e Semear Mercearia, que terão os seus bens alimentares à venda no supermercado de Telheiras. “Se correr bem, quando formos reavaliar este projeto, em janeiro, iremos alargar a outras lojas e a outras instituições locais”, disse a diretora-geral do Pingo Doce, Isabel Ferreira Pinto, ao Jornal Económico.
Comentários