Rede Nacional de Expressos reforça ligações em todo o território nacional

Os responsáveis da empresa criticam o facto de Portugal ser atualmente “o único país da União Europeia com este constrangimento de dois terços da lotação do transporte rodoviário, divergindo dos procedimentos europeus e criando dificuldades logísticas e financeiras ao nível do transporte nacional e internacional”.

Perante a nova fase de desconfinamento e a progressiva abertura do país, a Rede Expressos está a reforçar o número de frequências das ligações, tendo também em conta o regresso às aulas dos universitários.

“A Rede Expressos já está a reforçar o número de frequências, em todo o território nacional, perante a nova fase de desconfinamento decidida em Conselho de Ministros, especialmente com o regresso às aulas presenciais dos estudantes universitários. As frequências relativas aos trajetos de acesso aos grandes pólos universitários, como Lisboa, Porto, Coimbra, Braga, Faro, Évora e Covilhã estão a ser reforçadas perante as necessidades progressivas de mobilidade dos estudantes o mesmo acontecendo também nas ligações às capitais de distrito para atender ao aumento da procura perante a abertura do país”, adianta um comunicado da Rede Expressos.

Segundo esse documento, “para facilitar as necessidades de mobilidade dos portugueses, a Rede Expressos está a colocar mais autocarros nas estradas de norte a sul de Portugal, tendo a circular diariamente mais de 200 viaturas, apesar das limitações de lotação dos veículos a dois terços”.

“Portugal é atualmente o único país da União Europeia com este constrangimento de dois terços da lotação do transporte rodoviário, divergindo dos procedimentos europeus e criando dificuldades logísticas e financeiras ao nível do transporte nacional e internacional. De forma a assinalar este reforço da atividade, a Rede Expressos decidiu colocar no mercado 12.500 bilhetes promocionais por mês em várias cidades do país a cinco euros cada e lançou nova tarifa promocional a 9,5 euros”, sublinha o comunicado em questão.

“A Rede Expressos manteve-se em atividade ao longo do período de confinamento, reconhecendo a importância que tem na mobilidade das populações e agora, à medida que o país vai abrindo, está já a reforçar o número de frequências e, simultaneamente, a colocar mais autocarros a circular”, disse, a este propósito, Carlos Oliveira, diretor geral da Rede Expressos.

Recorde-se que, de forma a corresponder às solicitações atuais dos clientes, a Rede Expressos desenvolveu, neste último ano, uma nova app e um novo ‘site’, “mais intuitivo e completo, que facilita a aquisição antecipada de bilhetes, introduziu um sistema de embarque digital e reforçou o sistema de entretenimento a bordo”.

A Rede Expressos foi criada em 1995 com o objetivo de assegurar ligações rápidas e seguras entre várias cidades e vilas portuguesas, tendo posteriormente alargado a sua atividade a Espanha, passando a deter uma cobertura ibérica.

A Rede Expressos que opera as marcas Rede Expressos, Renex, Mundial Turismo e Citi Express, opera 300 destinos nacionais, 86 cidades, e possui 352 viaturas.

Ler mais
Recomendadas

SIC avança com nova emissão de obrigações no valor de 30 milhões com juro mais baixo

A empresa do grupo Impresa diz que se trata de uma oferta pública de troca parcial e voluntária de um milhão de obrigações com um valor unitário de 30 euros. 

Segundo maior acionista da REN quer vender participação de 12%

O Oman Oil Company SAOC quer vender os seus 12%. A empresa omanita avisa que o processo de venda ainda não foi iniciado e que nenhuma decisão formal foi ainda tomada. Participação vale mais de 190 milhões de euros.

Lisbon Bar Show tem regresso marcado para 16 e 17 de maio de 2022

Ao Jornal Económico, o organizador do Lisbon Bar Show calcula que o orçamento para este evento já ultrapasse um milhão de euros, incluindo a forte aposta dos expositores, na sua grande maioria produtores e distribuidores de bebidas alcoólicas e de acompanhamento dos respetivos ‘cocktails’.
Comentários