“Regozijo” do Chega com queda de Conte e “apoio incondicional” a Salvini

Partido liderado por André Ventura acredita que vitória da Liga em eventuais eleições antecipadas é “uma nova esperança para a Itália e para os italianos, e um novo e melhor ciclo para a União Europeia”.

A queda do governo italiano liderado por Giuseppe Conte na terça-feira levou o Chega a “expressar o seu voto de regozijo e de apoio incondicional a Matteo Salvini e à Liga Itália pela vitória política que protagonizou”.

“Estamos certos de que se abriu assim o caminho a um Governo maioritário presidido por Salvini, e deste modo uma nova esperança para a Itália e para os italianos, e um novo e melhor ciclo para a União Europeia”, lê-se na posição do partido liderado por André Ventura, que se afirma “solidário e em absoluta linha de convergência” com o até agora vice-primeiro-ministro e ministro do Interior de Itália.

Segundo o Chega, a vitória da Liga em eleições antecipadas (ainda dependentes do fracasso de outras soluções, como um entendimento entre o Movimento 5 Estrelas e o Partido Democrático ou a formação de um governo de perfil tecnocrático) significará “um ciclo com mais segurança, mais controlo de migrações ilegais e do tráfico humano que põe em risco as culturas tradicionais europeias, mas também com mais e melhor soberania para os Estados-Membros que se pretendem solidários e igualitários entre si”.

A sondagem mais recente, com entrevistas realizadas a 12 de agosto, dá conta de uma ligeira descida das intenções de voto na Liga, que apresentava 32%, contra 24% dos antigos parceiros de coligação do Movimento 5 Estrelas e 23% do Partido Democrático. Ainda assim, Salvini teria possibilidades de governar em coligação de partidos de direita com os Irmãos de Itália, de Giorgia Meloni, e com a Força Itália, do ex-primeiro-ministro Silvio Berlusconi, que ao contrário dos outros dois está integrada na família política europeísta do Partido Popular Europeu.

Recomendadas

Sondagem indica que Lula ganharia as eleições presidenciais brasileiras à primeira volta

O ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva ganharia as eleições presidenciais na primeira volta se as eleições, marcadas para outubro de 2022, fossem realizadas hoje, de acordo com uma sondagem de opinião divulgada na quarta-feira.

Josep Borrel manteve encontro com ministro dos Negócios Estrangeiros do Irão

O chefe da diplomacia da União Europeia diz que o regime de Teerão está interessado em regressar a Viena para continuar as negociações em torno do Acordo Nuclear de 2015.

Inteligência artificial traz ministro finlandês à Nova SBE

Visita de Ville Skinnari esta quinta-feira, 23 de setembro, decorre no âmbito da parceria para a disponibilização do curso Elements of AI em Portugal através da escola de negócios liderada por Daniel Traça.
Comentários