“Regozijo” do Chega com queda de Conte e “apoio incondicional” a Salvini

Partido liderado por André Ventura acredita que vitória da Liga em eventuais eleições antecipadas é “uma nova esperança para a Itália e para os italianos, e um novo e melhor ciclo para a União Europeia”.

A queda do governo italiano liderado por Giuseppe Conte na terça-feira levou o Chega a “expressar o seu voto de regozijo e de apoio incondicional a Matteo Salvini e à Liga Itália pela vitória política que protagonizou”.

“Estamos certos de que se abriu assim o caminho a um Governo maioritário presidido por Salvini, e deste modo uma nova esperança para a Itália e para os italianos, e um novo e melhor ciclo para a União Europeia”, lê-se na posição do partido liderado por André Ventura, que se afirma “solidário e em absoluta linha de convergência” com o até agora vice-primeiro-ministro e ministro do Interior de Itália.

Segundo o Chega, a vitória da Liga em eleições antecipadas (ainda dependentes do fracasso de outras soluções, como um entendimento entre o Movimento 5 Estrelas e o Partido Democrático ou a formação de um governo de perfil tecnocrático) significará “um ciclo com mais segurança, mais controlo de migrações ilegais e do tráfico humano que põe em risco as culturas tradicionais europeias, mas também com mais e melhor soberania para os Estados-Membros que se pretendem solidários e igualitários entre si”.

A sondagem mais recente, com entrevistas realizadas a 12 de agosto, dá conta de uma ligeira descida das intenções de voto na Liga, que apresentava 32%, contra 24% dos antigos parceiros de coligação do Movimento 5 Estrelas e 23% do Partido Democrático. Ainda assim, Salvini teria possibilidades de governar em coligação de partidos de direita com os Irmãos de Itália, de Giorgia Meloni, e com a Força Itália, do ex-primeiro-ministro Silvio Berlusconi, que ao contrário dos outros dois está integrada na família política europeísta do Partido Popular Europeu.

Recomendadas

Covid-19: Irão “nega categoricamente” notícias sobre 50 mortes

“Nego categoricamente essa informação” disse à imprensa o vice-ministro da Saúde, Iraj Harirtchi, sobre a informação avançada pelo deputado Ahmad Amirabadi Farahani, que acusou o governo de Teerão de “mentir ao povo”.

Trump vai vender 2,7 mil milhões de euros em helicópteros militares à Índia

A visita do líder norte-americano acontece depois de um ano de atritos comerciais entre os dois países, com a imposição de taxas mútuas e a decisão dos Estados Unidos de retirar a Índia, a partir de junho passado, do Sistema de Preferências Generalizadas, que proporciona reduções tarifárias em vários produtos.

China adia o mais importante evento anual da sua agenda política devido ao coronavírus

O Comité Permanente da 13.ª Assembleia Nacional Popular (ANP) aprovou uma proposta para adiar a sua sessão plenária, cujo início estava previsto para 5 de março.
Comentários