Reino Unido decreta dia e hora para concretização do Brexit

A primeira-ministra britânica, Theresa May, diz que não vai tolerar qualquer tentativa de bloquear esta decisão e que já tem a data e a hora definidas “preto no branco”.

Stefan Wermuth/REUTERS

O Governo britânico anunciou esta sexta-feira que a saída do Reino Unido da União Europeia vai cumprir-se em março de 2019, sem lugar para arrependimentos. A primeira-ministra britânica, Theresa May, diz que não vai tolerar qualquer tentativa de bloquear esta decisão e que já tem a data e a hora definidas “preto no branco”.

“O Reino Unido vai deixar a União Europeia às 23 horas de 29 de março de 2019”, afirmou o responsável britânico pelas negocições de saída do Reino Unido da UE, David Davis. “Estivemos a ouvir os britânicos e os membros do Parlamento e fizemos as emendas necessárias [à lei do Brexit] para não restar qualquer tipo de confusão”.

O referendo de junho de 2016 veio expressar nas urnas a vontade dos britânicos de deixar a União Europeia, o que viria a ser formalizado a 29 de março deste ano, com a ativação do artigo 50º do Tratado Europeu. A data para a conclusão da maratona das negociações com o bloco europeu já era então conhecida. Com uma duração de dois anos, o Reino Unido viria a deixar o bloco a 29 de março de 2019.

No entanto, ainda não era conhecida a hora em que tal se concretizaria, o que estava a consternar os britânicos dada a falta de rigor em torno do processo. Agora uma coisa é certa: a partir das 23h01 de dia 29 de março de 2019 os britânicos, não serão mais cidadãos da União Europeia.

Recomendadas

Primeiro-ministro eslovaco internado com infeção respiratória

Peter Pellegrini foi hospitalizado este domingo à noite com uma infeção respiratória, acompanhada de febre, tendo sido obrigado a cancelar a sua agenda numa semana de eleições parlamentares no país.

“As pessoas têm medo, até de um simples aperto de mão”. Portuguesa em Itália conta como se lida com o coronavírus

“Na zona de Milão, os supermercados estão completamente vazios e não se encontra máscaras de proteção facial em lado nenhum”, relata ao JE uma jornalista portuguesa que reside na zona da Toscana, perto de Florença, região onde, para já, tudo está tranquilo no que diz respeito a casos de coronavírus.

Covid-19: Irão “nega categoricamente” notícias sobre 50 mortes

“Nego categoricamente essa informação” disse à imprensa o vice-ministro da Saúde, Iraj Harirtchi, sobre a informação avançada pelo deputado Ahmad Amirabadi Farahani, que acusou o governo de Teerão de “mentir ao povo”.
Comentários