Reino Unido e Interpol criam plataforma para combater predadores sexuais

“A nossa mensagem para os predadores sexuais que usam este setor para cometer os seus crimes é: “acabou”, disse a ministra britânica do Desenvolvimento Internacional, Penny Mordaunt.

O governo britânico anunciou esta quinta-feira a criação de uma plataforma, em colaboração com a Interpol, para combater os predadores sexuais que aproveitam as organizações de ajuda humanitária para cometer os seus crimes.

Em comunicado, o Departamento de Desenvolvimento Internacional (DFID) explicou que o objetivo é impedir que predadores sexuais passem de uma organização não-governamental (ONG) para outra.

O projeto, que vai funcionar a partr do sistema da Interpol, surge após vários escândalos de violência sexual que afetaram o mundo humanitário, incluindo a ONG Oxfam e a ONU.

“A nossa mensagem para os predadores sexuais que usam este setor para cometer os seus crimes é: “acabou”, disse a ministra do Desenvolvimento Internacional, Penny Mordaunt, citada no comunicado.

“Temos que mostrar às pessoas que estamos aqui para lhes dar a proteção de que precisam”, acrescentou.

A iniciativa, chamada Sotéria, em honra à deusa grega da segurança, irá funcionar em dois centros, um em África e outro na Ásia.

O projeto piloto tem um custo de 10 milhões de libras (11 milhões de euros), dos quais dois milhões são suportados por Londres.

O secretário-geral da Organização Internacional de Polícia Criminal (Interpol), Juergen Stock, sublinhou que vai permitir que que a organização cumpra a sua principal missão de proteger “os membros mais vulneráveis da sociedade”.

A ajuda britânica às ONG inclui o acesso a investigadores especializados.

Ler mais
Recomendadas

Isabel dos Santos diz que pagamentos do crédito de 125 milhões de euros à CGD estão “em dia

Empresária angolana reagiu à notícia do Correio da Manhã que avançou que o crédito concedido pelo banco, presidido então por Faria de Oliveira, não tinha sido alvo de avaliação da situação financeira de Isabel dos Santos. Segundo um relatório do Banco de Portugal, na análise de risco elaborada pela Caixa “não se encontrava disponível qualquer informação que permitisse avaliar a capacidade financeira da engenheira Isabel dos Santos”, avançou o CM.

Procurador francês diz que estão acionados todos os meios para encontrar suspeito do atentado de Lyon

As autoridades francesas procuram o presumível autor do atentado ocorrido na sexta-feira numa rua em Lyon, que fez 13 feridos. A investigação judicial, aberta inicialmente por tentativa de homicídio, foi transferida para o Ministério Público de Paris, que centraliza os casos de terrorismo em França.

“Marginalização de África no comércio mundial não mudou muito”, diz ex-dirigente da ONU Carlos Lopes

Carlos Lopes, antigo adjunto do secretario-geral das Nações Unidas, defendeu este sábado em Lisboa que a Zona de Livre Comércio Continental (ZLEC) pode contribuir para acelerar a industrialização da região.
Comentários