Reino Unido elimina lista ‘amber’ onde estava inserido Portugal e já não vai pedir testes negativos aos vacinados

O anúncio surge na sequência de uma revisão das regras em vigor em território britânico e após o secretário dos Transportes, Grant Shapps, ter dito que oito países seriam retirados da lista vermelha. Assim, Portugal passa a estar na lista ‘verde’.

Aeroporto de Heathrow, Londres | Richard Heathcote/Getty Images

A lista de cores para viagens internacionais foi simplificado em Inglaterra, estando agora limitada a uma única lista vermelha, e entra em vigor a partir de 4 de outubro. Viajantes que estejam totalmente inoculados contra o novo coronavírus que se desloquem para o Reino Unido já não precisam de realizar testes antes da viagem, avança a “BBC”.

O anúncio surge na sequência de uma revisão das regras em vigor em território britânico e após o secretário dos Transportes, Grant Shapps, ter dito que oito países seriam retirados da lista vermelha.

Sob o novo regime de testes, as pessoas que estejam totalmente inoculadas contra a Covid-19 não necessitam de realizar um teste antes de deixarem qualquer país que não esteja na lista vermelha. Embora as viagens sejam um assunto descentralizado, os governos escocês, galês e da Irlanda do Norte têm seguido as regras do governo inglês durante a pandemia.

O governo do País de Gales disse que acompanhará Inglaterra na remoção da Turquia, Paquistão, Maldivas, Egito, Sri Lanka, Omã, Bangladesh e Quénia da lista vermelha. Ainda que tenham deixado o alerta de que iriam continuar a “considerar cuidadosamente” as mudanças propostas nos testes.

A Escócia disse que simplificaria o seu sistema de restrições de viagens, mas descartou a remoção da exigência de testes PCR, devido a “preocupações significativas com o impacto na saúde pública”.

Grant Shapps afirmou que as novas regras de viagens permanecerão em vigor “pelo menos até o ano novo” e que o grande objetivo é “facilitar viajar sem burocracias, sem tantos exames e com maior segurança agora que temos tantas pessoas vacinadas”.

A indústria de viagens recebeu com entusiasmo a mudança e sublinhou que o anúncio foi um passo para ajudar na recuperação do turismo. A Airlines UK disse que foi uma “vacina que nos deixa muito mais perto da reabertura da aviação britânica”.

Já Stewart Wingate, executivo-chefe do aeroporto de Gatwick, disse que os clientes podem “reservar com mais confiança nos meses anteriores ao Natal e depois”, acrescentando que há “uma procura reprimida significativa por viagens”.

O presidente-executivo e presidente da British Airways, Sean Doyle, disse que menos de 1% dos viajantes de países de baixo risco testaram positivo e que todos os testes para viajantes totalmente vacinados deveriam ser descartados “como a maioria dos outros países europeus”.

Recomendadas

Regulador europeu de medicamentos autoriza novos locais para produzir vacinas da Pfizer

Território transalpino recebeu ‘luz verde’ da Agência Europeia de Medicamentos para fabricar fármacos. Segundo comunicado da EMA, “uma unidade, estará localizada em Monza, Itália” enquanto a “outra unidade estará situada em Anagni, também na Itália”.

Estado de emergência na Alemanha termina a 25 de novembro

O anúncio foi feito pelo ministro da Saúde alemão, Jens Spahn que diz que o país está a “a passar de um estado de emergência para um estado de cautela especial”.

Quase 600 milhões de certificados digitais emitidos na UE e 7,6 milhões em Portugal  

No conjunto da União Europeia e Espaço Económico Europeu, foram então já emitidos 591 milhões de certificados desde julho, de vacinação (438 milhões), de teste PCR (60 milhões), de teste antigénio (84 milhões) e ainda de recuperação (10 milhões).
Comentários